Lição de História #3 – O nascimento do Pro-Wrestling moderno

Após algum tempo, a terceira parte do Lição de História está disponível. Para quem não se recorda, esta coluna foca em contar um pouco sobre a história do Pro-Wrestling, e atualmente o foco está na luta livre americana. Clique aqui para ver a primeira parte, e aqui para conferir a segunda parte, caso ainda não tenha as visto. E depois clique em leia mais para ler mais um capítulo da história desta grande indústria.

A GOLD DUST TRIO E O NASCIMENTO DO PRO-WRESTLING MODERNO

Ao mesmo tempo em que as lutas pré-determinadas começavam a surgir, Todd Mondt, considerado um dos melhores “Hookers” da época, foi contratado por Billy Sandow e Ed “Strangler” Lewis para servir como “disciplinador” para os oponentes de Lewis, evitando que alguém fugisse dos resultados pré-determinados e também

Pouco lembrado na história, Mondt foi responsável por uma revolução no estilo do Pro-Wrestling.

de modo a evitar que o Lewis, o campeão, se machucasse. Percebendo a queda de público devido ao ritmo lento das lutas, Mondt convenceu Sandow e Lewis a criar um novo método de Wrestling, que misturasse Boxe, Luta Greco-Romana, Freestyle Wrestling e elementos teatrais, que Mondt intitulou de “Slam Bang Western Style Wrestling”. Esse estilo (que possuía golpes radicais como Body Slams, Suplexes e Arm Drags) combinado com o tradicional estilo de Wrestling criou o que é essencialmente o estilo moderno de Pro-Wrestling, e acabou se tornando um sucesso instantâneo. Apesar de os resultados pré-determinados já existirem antes, foi Mondt quem aperfeiçoou a técnica, tornando-a norma terminar as lutas de uma maneira determinante para que os fãs tivessem vontade de voltar no outro dia para mais. É dito que Mondt inventou pelo menos 70% de todos os finais e manobras de finalizações existentes, além de ter sido ele o responsável pelo conceito de “No Contest”, que incluía inovações como empate devido a tempo limite da luta ter sido alcançado e desqualificações duplas. Esse estilo exagerado foi o que marcou a transição definitiva do Pro-Wrestling como um Esporte para um show de exibição de manobras de submissão e golpes artísticos para entreter o público. Mondt, ao lado de Lewis (a estrela dentro do ringue) e Sandow (o promotor dos shows), receberam a alcunha de “Gold Dust Trio”.

A popularidade do estilo criado pela Gold Dust Trio fez os shows saírem de teatros burlescos para grandes arenas de esportes, o que fez com que o grupo conseguisse cada vez mais lucro com os ingressos. Isso permitiu que Sandow contratasse centenas de atletas para juntarem-se ao grupo. Experiente no mundo dos negócios, Sandow contratou seus lutadores para contatos exclusivos; uma manobra radical para a época, que acabou com muitos dos promotores rivais. Por terem se tornado uma agência central para os lutadores em todo o Estados Unidos, o Trio se estabeleceu como a primeira promoção nacional de Wrestling.

Ed “o Estrangulador” Lewis foi o grande nome do período pós Gotch e pré Lou Thesz

Outra inovação do Trio foi estabelecer o Pro-Wrestling como um produto sequencial, com histórias que se seguiam em cada show. Em menos de um ano o grupo acabou tomando controle de toda a indústria do Pro-Wrestling, e Lewis consequentemente se tornava o principal Wrestler da época, ao ponto de se tornar a nova superestrela. Apesar disso, o grupo reconhecia que eventualmente o público ficava cansado de ver apenas um lutador no topo, e Lewis eventualmente perdia para lutadores populares da época. Lewis fazia isso sem problemas pois, por ser um exelente lutador de verdade, não teria problema algum em, se necessário, transformar uma luta pré-determinada em uma luta real e vencer o então campeão. Os termos Work (luta coreografada) Shoot (luta real), Push (quando um lutador começa a receber destaque vencendo muitas lutas) e Programs (série de lutas para que um lutador se tornasse um concorrente credível para o campeão) nasceram naquele período. O Trio também estabeleceu uma hierarquia de talentos, colocando apenas aqueles com habilidade real no ringue como os potenciais campeões, porém frequentemente os lutadores com maior aceitação do público (seja por seu carisma ou apelo étnico) recebiam também destaque nos shows, eventualmente desafiando os campeões.

Pode-se dizer que Zbyszko foi um dos responsáveis pelo primeiro grande “screwjob” do Pro-Wrestling.

Tal hierarquia se mostrou problemática em algumas ocasiões, como no caso envolvendo Stanislaus Zbyszko, Wayne Munn, Ed Lewis e Joe Stecher. Zbyszko, que havia lutado lutas de Wrestling de verdade com Frank Gotch e George Hackenschmidt, havia feito a transição para as lutas pré-determinadas já no alto dos seus 47 anos, porém foi recrutado pela Gold Dust Trio mesmo assim para fazer parte dos shows do grupo. Zbyszko derrotou Lewis pelo título Mundial em maio de 1921, mas seu reinado como campeão não agradou ao público, e logo em março de 1922 ele perdeu o cinturão para Lewis. Nessa mesma época, Joe Stecher, o primeiro World Heavyweight Champion a ser reconhecido após a aposentadoria de Frank Gotch (Stetcher derrotou Charlie Cutler em 1915 em Kansas City, Missouri), se desentendeu com a Gold Dust Trio, saindo da empresa do grupo e formando sua própria empresa. Zbyszko continuou com o Trio, que na época estava promovendo o ex-jogador de futebol americano Wayne Munn como o carismático novo campeão (Munn acabou vencendo Lewis pelo cinturão em Janeiro de 1925). Para dar maior credibilidade a Munn, que na realidade não tinha qualquer experiência em lutas de Wrestling reais, o Trio o colocou apara defender o título contra Zbyszko em Abril de 25. Entretanto, Zbyszko secretamente aceitou uma proposta de Tony Stecher, irmão de Joe, para mudar para o grupo dos Stetcher. Assim, Zbyszko traiu o Trio transformando a luta com Munn num Shoot legítimo, pinando o não-wrestler Munn mais de uma vez até o árbitro finalmente dar o cinturão ao veterano de 47 anos, que no mês seguinte lutou contra Stecher numa luta normal (pré-determinada) e perdeu o cinturão para o mesmo, de modo a completar o plano. Esta foi uma das últimas vezes que um World Title mudou de mãos legitimamente no Pro-Wrestling, e essa história gerou um medo constante dos promotores de colocarem non-wrestlers como campeões, o que favoreceu Lou Thesz, experiente “hooker” que acabou sendo campeão durante as décadas de 30, 40, 50 e 60, principalmente da NWA (que será tema futuro desta coluna).

A mente por trás do primeiro grande screwjob da história do Pro-Wrestling possuía o apelido de “Scissors Joe”

Após ter conseguido passar a perna no Trio, Stecher, apesar de ser um hábil hooker, tinha medo de perder o cinturão, se recusando a lutar com inúmeros candidatos ao cinturão como resultado. Isso tornou impossível para o Trio recuperar o cinturão mundial. Eles decidiram chamar a luta entre Munn e Zbyszko como ilegítima, recolocando Munn como campeão e fazendo-o ser derrotado rapidamente por Lewis. Isso nos deixou dois campeões mundiais, Ed Lewis e Joe Stecher, que na época eram considerados os mais dominantes lutadores do período. Stecher e Lewis finalmente fizeram as pazes e concordaram em realizar uma luta de unificação em 1928, com Stecher perdendo para Lewis. A traição de Zbyszko, entretanto, diminuiu a dominação do Gold Dust Trio dentro da indústria.

Ingresso para o evento onde a luta entre Lewis e Stecher ocorreu.

 

No mesmo ano da unificação dos títulos, o Trio se dissolveu, com Mondt saindo do grupo devido a desavenças com o irmão de Billy Sandow, Max Brauman. Lewis e Sandow acabariam se separando pouco depois, devido a questionamentos de Sandow quando ao condicionamento físico de Lewis.

Durante as décadas de 30 e 40, a competição entre as empresas de Wrestling ficou cada vez mais acirrada. O cinturão mundial continuou sendo defendido normalmente, com diversas lutas inter-promocionais, até ser unificado com o NWA World Heavyweight Championship por Lou Thesz, em 1956. Apesar do cinturão mundial continuar sendo defendido entre as empresas, era extremamente comum roubo de lutadores entre as empresas e invasões de territórios, numa verdadeira guerra por território. Em 1948 o Pro-Wrestling alcançou novo patamar com o surgimento da National Wrestling Alliance.

Na próxima parte, veremos o confuso início da NWA, que deu início à famosa era dos territórios no Pro-Wrestling.

Escrito por Rodrigo Peret

Estudante de Jornalismo, redator e colunista do Wrestlemaníacos. E ídolo do Izac Luna.

Deixe um Comentário

comentário(s)