in

The Squared Circle #03 – Wrestlemania 33

E aí pessoal? Sou o João Lucas, e estou aqui de novo, trazendo a análise do maior evento de wrestling do ano. Desta forma, não poderia deixar passar em branco, e trouxe uma análise com notas de todas as lutas que aconteceram nesse Wrestlemania (que foram muitas, vide as 7 horas de show). Então pessoal, não preciso nem alertá-los que contém spoilers, né? Quem se sentir à vontade, apenas desça a barra de rolagem e vamos a análise:

Pré-Show:

Singles Match pelo WWE Cruiserweight Title: Neville © vs. Austin Aries

Começamos pela Cruiserweight match. Acredito que se eu trabalhasse como booker para a WWE, não seria um muito bom, pois colocaria essa match como um dos Main Events deste Wrestlemania, com mais tempo e mais intensidade, e traria a match entre Goldberg e Brock Lesnar para o Pré-Show. (sim, é sério).

Sou fã de AA desde a época em que ele era membro do Generation Next, na Ring of Honor em 2004. Sempre bom no Mic, muito talentoso in-ring, um dos meus wrestlers favoritos de todos os tempos. E Neville, sem comparação, fazendo um bom trabalho como heel, e sendo a melhor coisa que aconteceu a Cruiserweight division desde o fim do Cruiserweight Classic.

A match foi boa, porém foi uma clássica match de pré-show: não aconteceu nada que não aconteceria em uma Segunda a Noite: pouco tempo de duração, com um final simples, além de que você poderia ver os espectadores se dirigindo para seus locais. Porém, gostei da Match, do Hype, e da premissa que a cruiserweight division está ganhando cada vez mais espaço e relevância na WWE.

Vencedor: Neville reteve o título via Pinfall.

Nota: 3,25/5

André the Giant Memorial Battle Royal

Battle Royal sem muita relevância. Me desculpe, mas ter uma battle royal no Wrestlemania, onde Mojo Rawley e Jinder Mahal são os finalistas, é porque nem a WWE a leva a sério. Pelo menos a deste ano. Não é segredo que a utilidade desta battle royal é apenas acrescentar os wrestlers que ficaram de fora do card de alguma forma no evento.

Odeio este tipo de match: uma battle Royal com tanta gente junta no ringue ao ponto do espectador não ter a mínima idéia do que acontece. Alguns fatos que se destacaram foi a participação de Killian Dain, do NXT, eliminando inclusive Sami Zayn da Battle Royal; A eliminação precoce de Big Show e Braun Strowman da match, além de Rob Gronkowski, dos New England Patriots, atacando Jinder Mahal com um Shouder Block no maior estilo Football Player, ajudando Mojo a vencer a Battle Royal.

Enfim, lamento que caras como Dolph Ziggler, Sami Zayn e Luke Harper não tenham uma match própria esse ano.

Resultado: Mojo Rawley eliminou Jinder Mahal para vencer a Battle Royal.

Nota: 0,5/5

Singles Match pelo Intercontinental Championship: Dean Ambrose © vs Baron Corbin

Uma feud bem trabalhada por meses entre dois wrestlers, onde um é um dos principais wrestlers da WWE nos dias de hoje; e o outro é um dos que mais evoluiu no ano passado, seja in-ring, no mic ou como personagem; e por um dos títulos com maior prestígio na empresa. Por algum motivo, a WWE achou que essa match deveria ir para o pré-show. Vai entender…

A match foi uma clássica Face vs. Heel, onde o bonzinho demonstra resiliência a luta inteira, pra que no fim aplica-se o seu impactante finisher e vence. Por algum motivo acho que a feud entre os dois não acaba por aí, principalmente porque acredito que Baron Corbin não irá demorar muito para conquistar o Intercontinental Championship.

Veja também:  Ronda Rousey deve deixar a WWE após WrestleMania

Resultado: Dean Ambrose reteve o título via Pinfall.

Nota: 3/5

 

Show Principal

Singles Match: AJ Styles vs. Shane McMahon

É assustador assistir uma match onde um lutador de quase 50 anos consegue se mover como Shane McMahon se move no ringue. Quanta agilidade! Alguém que sabe executar e vender um golpe como se fosse alguém 20 anos mais novo é de se empolgar.

Shane e AJ Styles executaram uma match digna de uma Wrestlemania: com um bom storytelling do início ao fim, e os clássicos spots de Shane como o Coast-to-Coast e o Diving Elbow Drop na Commentary Table; além de alguns novos, como o Shooting Star Press. Apesar da vitória de AJ, Shane roubou novamente a cena.

Resultado: AJ Styles venceu via Pinfall.

Nota: 4/5

Singles Match pelo United States Championship: Chris Jericho © vs. Kevin Owens

Essa match já estava determinada desde o início da aliança entre Jericho e Owens, e obviamente se culminaria na Wrestlemania. A feud, sem dúvida, não tinha outro objetivo além de “passar a tocha”, onde Chris Jericho deixa para Kevin Owens, com 32 anos, uma boa marca em sua carreira, com muito chão ainda pela frente.

Boa match: bem amarrada, cheia de reversals, do jeito que era esperado de uma match entre dois wrestlers tão parecidos um com o outro em relação a técnica, estilo, personagem…

Enfim, Jericho muito provavelmente deixará a WWE em breve pra sair em turnê com o Fozzy. Uma pena, pois é uma das melhores coisas que o RAW tem atualmente. Enquanto a Kevin Owens, só o desejo um bom reinado como United States Champion, melhor do que foi o seu com o título Universal.

Resultado: Kevin Owens reteve o título via Pinfall.

Nota: 3,5/5

Fatal-Four Way elimination match pelo RAW Womens Championship: Bayley © vs. Sasha Banks vs. Charlotte vs. Nia Jax

Primeiramente, não gostei do conceito desta match: a feud foi quase inexistente, uma desculpa (quase tão esfarrapada quanto a match entre Womens do Smackdown) para colocar todas as Womens de relevância na mesma match pelo título.

Além disso, a match foi um pouco decepcionante: toda a ação aconteceu muito rápido e, apesar de Nia Jax ter sido eliminada primeiro pelas outras três ter sido previsível, a eliminação precoce de Sasha Banks e em poucos minutos depois Charlotte ter sofrido o pin fez a match perder um pouco de sua importância. A resiliência que as duas mostraram em lutas anteriores pareceu ter se perdido, o que prejudica a Womens Division, que está vindo com tudo desde a Womens Revolution.

Resultado: Bayley reteve o título, eliminando por último Charlotte.

Nota: 2,25/5

Fatal-Four Way Tag Team Ladder Match pelo RAW Tag Team Championship: The Club (Luke Gallows & Karl Anderson) © vs. Enzo Amore & Big Cass vs. Sheamus & Cesaro vs. Hardy Boyz (Jeff HArdy & Matt Hardy)

Isso mesmo, temos o retorno dos Hardy Boyz a WWE! Ver Matt Hardy como Broken fazendo a taunt “delete” em uma Wrestlemania é impagável. Não acho que seu personagem vai ser caricato como ele fez do ano passado pra cá, mas é bom ver que os traços que o fizeram um dos personagens mais populares de 2016 se manteram.

Veja também:  Card final: Royal Rumble 2019

Na minha opinião, toda Wrestlemania tem que ter uma ladder ou uma TLC match. Principalmente tão boa como foi essa fatal-four way tag. Outra Wrestlemania com Jeff Hardy executando seu Swanton Bomb do topo da escada sempre vale todo o show

Resultado: Hardy Boyz venceram com Matt Hardy pegando os títulos de Tag do RAW.

Nota: 3,75/5

Mixed Tag Team Match: John Cena & Nikki Bella vs. The Miz & Maryse

Quando eu fiquei sabendo da possibilidade de haver John Cena e Nikki Bella vs. The Miz & Maryse em uma Wrestlemania, eu achei bem improvável, por motivos óbvios. O tempo foi passando e essa match foi ficando cada vez mais próxima de realmente acontecer.

E aconteceu: Maryse apenas deu um soco no Cena, e a ação da match foi proporcionada na maioria por John e Miz. A match foi básica e ruim, sem mais. No final, John Cena e Nikki Bella aplicaram seus finishers juntos em The Miz e Maryse, respectivamente, e pinaram ambos ao mesmo tempo.

Pra terminar, John Cena pediu Nikki Bella em casamento, provando o meu ponto que tudo não passou de um momento de inserção do Total Bellas no Wrestlemania e, sinceramente, desejo toda a felicidade aos noivos. Afinal, essa match teve este único propósito, apenas. Ao menos os segments de The Miz e Maryse, satirizando o casal, foram engraçados.

Resultado: John Cena & Nikki Bella venceram, com Nikki Bella pinando Maryse.

Nota: 1,25/5

Unsanctioned Match: Triple H vs. Seth Rollins

Partimos pra talvez a match mais antecipada do card. A feud que durou vários meses teve uma conclusão óbvia no Wrestlemania. Alguns imprevistos, como uma nova lesão de Seth Rollins, mudou o andamento da feud, onde essa match quase não aconteceu. Por sorte, essa feud teve sim sua conclusão.

A match foi um “Triple H Classic”: começou com um Brawl entre os dois wrestlers, uma “trocação sincera”; Até que Triple H começou atacar o joelho ruim de Seth. A match teve diversos momentos bons, com alguns spots legais, como os reversals de Pedigrees por ambas as partes, e a Stephanie McMahon caindo em cima de uma table.

Como esperado, Seth Rollins venceu, possivelmente concluindo a feud entre os dois.

Resultado: Seth Rollins venceu por Pinfall.

Nota: 3,75/5

Singles Match pelo WWE Championship: Bray Wyatt © vs. Randy Orton

Outra match bastante antecipada, a feud entre os dois foi no mínimo, bizarra. Randy vencendo o Royal Rumble, e depois queimando a casa do Bray, depois de fingir se juntar a Wyatt Family, enquanto Bray se sujava com os restos da Sister Abigail… Por outro lado, grandes promos executadas por ambos os wrestlers, que tem um domínio do mic fenomenal.

Quanto a match, não esperava mais dos dois. Bem amarrada, com poucos spots, e um finisher foi suficiente para derrotar Bray Wyatt. Enfim, não vejo o porquê Orton ter vencido o WWE Championship no momento, uma vez que todo mundo botava fé no reinado que o líder dos Wyatts iria fazer. Nos resta apenas assistir aos próximos capítulos.

Obs.: Não sei se gostaram dos efeitos no ringue de minhocas, vermes e baratas, toda vez que o Bray fazia sua taunt; eu achei bem tosco.

Resultado: Randy Orton venceu por Pinfall, para se tornar o novo WWE Champion.

Veja também:  Ronda Rousey deve deixar a WWE após WrestleMania

Nota: Nota: 3/5

Singles Match pelo WWE Universal Championship: Goldberg © vs. Brock Lesnar

A minha descrição do porquê Goldberg está na WWE atualmente é pra me fazer lembrar que o Roman Reigns não é tão ruim. Não que eu não goste de Goldberg, mas é que, depois de tanto tempo, nunca aprendeu a fazer uma boa luta. Estou feliz que este não foi o ME desta Wrestlemania.

Porém, em relação a luta, com toda certeza, a melhor match entre os dois. Não quer dizer que tenha sido um fenômeno, pois durou apenas pouco mais de cinco minutos, sendo apenas um monte de suplexes, Spears e um F5, como esperado. A reação da crowd, por outro lado, a tornou mais especial.

Enfim, Brock Lesnar é mais uma vez World Champion. Espero que não seja mais uma vez um Champion ausente, como foi seu reinado com o WWE World Heavyweight.

Resultado: Brock Lesnar venceu por Pinfall, para se tornar o novo Universal Champion.

Nota: 2,75/5

Six-Woman Match pelo Smackdown Womens Championship: Alexa Bliss © vs. Becky Lynch vs. Natalya vs. Mickie James vs. Naomi vs. Carmella (c/ James Ellsworth)

Como eu disse anteriormente, a feud foi só uma grande desculpa pra socar todas as womens wrestlers do smackdown em uma mesma match. Sem contar na posição avulsa no card, cujas entrances duraram mais do que a própria match.

O público já não ligava pra essa match, ninguém ovacionava os spots das wrestlers (como o silêncio no momento em que Natalya aplicou um double Sharpshooter), e tudo aconteceu muito mais rápido do que na primeira womens match.

Muito talento em uma match, desperdiçado. E como na outra Womens match, apenas diminuiu a importância das Womens division no roster.

Resultado: Naomi faz Alexa Bliss dar Tap Out para se tornar a nova Smackdown Womens Champion.

Nota: 2/5

No Holds Barred Match: Roman Reigns vs. The Undertaker

E pela 3ª vez seguida, Roman Reigns é o ME do Wrestlemania. E desta vez vencendo a maior lenda da história deste Evento. O Adore ou o odeie, a WWE trilha cada vez mais para um caminho sem volta, onde o The Guy é o “face of the Company”. Enfim, Roman Reigns venceu o Undertaker em uma Wrestlemania, e isto estará para sempre escrito na história do wrestling.

A match em si foi digna de um ME: os dois bastante resilientes, usando seus melhores ataques diversas vezes um com o outro. Porém, Undertaker demonstra mais uma vez dificuldades em se manter em pé na partida.

No final, Undertaker deixou o seu velho sobretudo e seu clássico chapéu no chão do ringue, deixando claro que aquela seria sua ultima match. Undertaker, uma das maiores lendas (se não a maior) do wrestling, “pendura suas chuteiras”. Uma pena, infelizmente.

Resultado: Roman Reigns venceu The Undertaker via Pinfall.

Nota: 4/5

Muitas matches, todas as feuds das duas brands sendo concluídas, e muita coisa aconteceu. A minha impressão foi de um card “espremido”, e o tempo das diversas matches reduzido. Tudo aconteceu muito rápido, para que as 7 horas de evento abarcasse todo o card. Muitas coisas boas, outras nem tanto, marcaram este Wrestlemania, que no fim, foi um bom PPV.

E é isso, galera. Vou ficando por aqui. Abraço e até o próximo “Squared Circle”.

Um comentário

Deixar uma resposta
  1. Sobre o Battle Royal, acho que ajudou um pouco a vender o produto pros “casuals” por causa do Gronkowski (e eu dei muita risada da moça da segurança parecendo querer barrar ele de verdade); e vendo por esse lado, realmente o Mojo Rawley teria que ter sido vencedor que é pro Gronkowski ter ainda mais exposição num evento da WWE. Jinder Mahal ficar até quase o fim realmente não fez muito sentido, embora tenham usado isso no RAW que veio a seguir. Big Damo O’Connor (ainda não consigo usar o nome novo dele, desculpe) entre os 3 “finalistas” deixou aquele clima: será que de novo temos um lutador do roster do NXT ganhando essa? #sqn

    E eu também não aprovo qualquer disputa de título num pre-show, seja o matchup que for… por mais que eu tenha achado Ambrose x Corbin bem qualquer coisa, e também ter notado que encurtaram bastante as disputas dos títulos femininos (especialmente o do RAW). Orton x Wyatt também me pareceu bastante encurtada, o finisher soou como um fim bem abrupto e coisa e tal. Só espero que a vitória do Orton traga um feud entre ele e AJ Styles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Goldberg comenta sobre seus planos após a WrestleMania

The Hardys

The Hardys retornaram durante a WrestleMania 33