Chairshot! #02 – A importância dos Brasileiros no NXT

Cezar Bononi, Adrian Jaoude e Taynara Melo são o impulso necessário para o Pro-Wrestling nacional.

Como você meu caro leitor pode ver lendo a descrição biográfica desse que vos fala, acompanho esse esporte apaixonante desde meados de 2007, com os shows da WWE que passavam nas tardes de sábado no SBT.

Aos 8 anos de idade, sempre procurei identificar dentro daquele plantel a presença de alguém que me representasse. Nacionalista que sou, assistia atento, esperando ver o momento em que veria uma bandeira do Brasil nas costas de um lutador, na camisa, as cores em calças ou bermudas, ou qualquer coisa do gênero. Não aconteceu. E eu tive que me contentar com Rey Mysterio, o carismático que mais se assemelhava a um Brasileiro (na minha cabeça de criança, talvez por ser “latino”).

10 anos depois, pude ver as notícias animadoras de que Cezar Bononi, o nosso “V8”, finalmente estreou em ringue num show televisivo da WWE perdendo num show do NXT para Aleister Black, inclusive você pode ler a notícia clicando aqui. Para o fã mais “casual”, talvez não seja tão significativo, mas deixe-me talvez lhe abrir os olhos com algumas informações básicas.

Veja também:  iMPACT Wrestling entrou em contato com Jinder Mahal antes de seu retorno à WWE

Cezar Bononi V8 NXT

No Pro-Wrestling mundial, o Brasil nunca foi nem minimamente significativo, e até nacionalmente, muito pouco importante desde que a febre do Telecatch na década de 90 passou. A nível de nomes, podemos dizer que nos últimos 20 anos tivemos no máximo 10 lutadores a fazer relativo nome no exterior. Fazendo um cálculo simples, notamos que em média a cada 2 anos, 1 nome apareceu fora do país. Com isso, não quero dizer fazer sucesso, pois se fôssemos considerar os que tiveram alguma real importância, talvez esse número caísse pra 2 ou 3. Em 20 anos.

Agora, em 2 anos, temos 3 nomes dentro do NXT. Mais um pouco de matemática, e eu lhes digo que fizemos em 2 anos, quase um terço do que tínhamos feito em 20. E não é nada arriscado dizer, que possivelmente até o final do ano, poderemos ter os três brasileiros integrados ao NXT.

Talvez ainda não seja significativo para todos, mas eu pessoalmente me sinto orgulhoso de ver 3 representante brasileiros simultaneamente galgando espaço dentro da mais importante empresa de Pro-Wrestling do mundo. Isso pode ser claramente um ponto de virada, e significa começar a colocar a nossa Luta Livre, o nosso Telecatch no radar do mundo. Isso significa ver a WWE, começando a pensar em trazer suas turnês pro Brasil. Isso significa a WWE começando a levar mais talentos daqui pra seu “Performance Center”. É vital pra nós.

Veja também:  WWE Backlash 2017: Card final

Depois de ter dito isso, queria agradecer especialmente hoje, a todos que se dedicam ao Pro-Wrestling no Brasil, e mais especialmente ainda, a Cezar Bononi, Adrian Jaoude, e Taynara Melo, e a todos os outros que levaram, levam ou levarão o orgulho da luta livre Brasileira adiante.

Cezar Bononi V8

E antes que eu me esqueça, agradecer a você leitor, que chegou no fim desse texto. Espero que tenham gostado do que leram, e que voltem na semana que vem. Obviamente, gostaria de ler suas opiniões a cerca do que digo, então escrevam nos comentários o que pensam.

E…

VAI BRASIL!

 

Escrito por Vitor Matheus

Fã de Pro-Wrestling desde que o Titio Silvio Santos ocupou as tardes de sábado com lutinha falsa. Acompanho a 10 anos e sou apaixonado pelos mais variados estilos, apesar do Hardcore ser o dono do meu coração.

"Beat me if you can, survive if I let you"

Deixe um Comentário

comentário(s)