in

Divisão feminina da WWE faz história mais uma vez

“Women’s Revolution” não dá sinal de cansaço

Na última quarta-feira (27) a divisão feminina da WWE protagonizou mais um momento histórico. Em um evento realizado no Madison Square Garden, em Nova Iorque, a luta principal da noite teve Ronda Rousey defendendo o Raw Women’s Championship contra Nia Jax, um combate que aconteceu até mesmo após o aguardado retorno de John Cena.

Na mesma noite, em um live event na cidade de Chicago, a última luta da noite foi uma Triple Threat entre Asuka, Charlotte Flair e Becky Lynch pelo SmackDown Women’s Championship, que ocorreu após uma Steel Cage entre Daniel Bryan, Mustafa Ali e The Miz.

Em seu podcast Wrestling Observer Radio, o jornalista e crítico Dave Meltzer apontou para o fato de que essa foi a primeira vez em 30 anos que a WWE teve dois house shows cujas lutas principais foram protagonizadas por mulheres.

A chamada “Women’s Revolution” da WWE começou em 2014 e desde então tem promovido a luta livre feminina em um nível nunca antes visto na empresa estadunidense. Ambos os cinturões principais devem ser defendidos no Royal Rumble, e existem rumores de que o evento principal da WrestleMania 35 possa ser uma luta entre mulheres.

Veja também:  Aiden English é o novo comentarista do WWE 205 Live

Siga o Wrestlemaníacos no Twitter e no Instagram: @wrestlemaniacos

Lucas Oliveira é redator no Wrestlemaníacos. Você pode segui-lo no Twitter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vídeo: John Cena retornou aos ringues

Chyna

Mãe de Chyna manda recado para a WWE sobre sua indução ao Hall of Fame