Entrevista exclusiva com Christi Jaynes

Christi Jaynes é natural de Niterói – RJ e luta nos EUA e Japão

Em entrevista exclusiva para o Wrestlemaníacos, a pro-wrestler brasileira Christi Jaynes, que atualmente está encerrando sua turnê junto da Stardom (A primeira brasileira em uma companhia japonesa de Joshi). A carioca, natural de Niterói-RJ luta também na Sabotage Wrestling, representando o Brasil em um torneio internacional, além da WrestleCircus, empresa da cidade onde mora e treina, em Austin, Texas.

Agradecemos, desde já por ela ter disponibilizado alguns minutos de seu tempo para responder as perguntas da equipe do Wrestlemaníacos. Confira a entrevista completa a seguir:

Wrestlemaníacos: Quem é Christi Jaynes?
Christi Jaynes: Apenas uma garota normal, que ama super heróis, histórias em quadrinhos, unhas, cães, doces e wrestling.

WM: Sabemos que você nasceu em Niterói, Rio de Janeiro, e que, quando você era jovem, se mudou  para os EUA. Como você parou neste mundo do wrestling profissional?
Christi Jaynes: Quando cheguei aos Estados Unidos, eu era jovem e não falava inglês. Foi muito difícil para mim fazer amigos por aqui. Nisso, havia um garoto que vivia na minha rua e seu irmão mais velho, que assistiam Pro Wrestling e acabei ficando fascinada pelo esporte.  Não conseguia entender muito bem o que estava acontecendo, mas eu entendia as emoções que passavam. Minha mãe me dizia para participar de uma equipe esportiva na Junior High School (N.T.: equivalente aos últimos anos do Ensino Fundamental, no Brasil) e quando eu vi o Wrestling, pensei : “É isso!” Mas, é claro que eles não ensinam Pro Wrestling na escola. Então, após me formar, pesquisei e achei uma escola de Pro Wrestling em Austin, Texas (AAPW – America’s Academy of Pro Wrestling), onde comecei a treinar.

Veja também:  Asuka quebrou recorde de CM Punk

WM: Quais são as suas inspirações, dentro e fora do ringue?
Christi Jaynes: Eu amo o estilo High Flyer da Lucha Libre mexicana. Eu também gosto muito do pro wrestling japonês e na “women’s revolution” que está acontecendo atualmente. Pessoas como Dark Angel, Lita, Trish Stratus, Bayley, Sasha, Rey Mysterio Jr. Blue Demon, Tiger Mask ( Kota Ibushi e Satoru Sayama) Kalisto, sem esquecer de Cutie Suzuki. Esta lista poderia continuar com Will Ospreay, Sammy Guevara, Ricky Starks, Io Shirai, Kairi Hojo e etc. Todos estes lutadores trazem ou trouxeram algo diferente ao ringue.
Fora do ringue, minhas inspirações são minha mãe e minha avó. Minha mãe veio para os EUA sem conhecer ninguém ou falar a língua. Minha avó deixou sua vida no Brasil para ajudar minha mãe a criar 4 filhos. Essas mulheres me ensinaram que, através do sacrifício, determinação e trabalho duro, você pode fazer e se tornar qualquer coisa.

WM: Como você se tornou a primeira brasileira no STARDOM – uma das mais famosas marcas de Joshi Puroresu no mundo?
Christi Jaynes: Honestamente, eu não sei. Participei de um show de luta livre na Califórnia, chamado Sabotage. Havia um scout no público, e eles gostaram do que viram. Alguns meses mais tarde, eles estavam fazendo meu visto e eu estava em um avião para o Japão. É  bastante surreal, mas estou muito feliz por ter essa oportunidade.

Veja também:  Sasha Banks em entrevista ao Wrestling News Source

WM: Para você, qual é a maior diferença entre o Pro Wrestling americano e japonês – dois dos maiores centros do esporte, que você lutou?
Christi Jaynes: Eu sinto que o japonês, definitivamente, tem “Strong Style”, a emoção que flui em cada luta, a vontade de nunca desistir e continuar até o fim, sem medo, é a maior diferença.

WM: Existe algum tipo de preconceito dentro do mundo da luta livre, porque você é de um país com menos tradição neste esporte?
Christi Jaynes: Eu nunca fui discriminada, por ser uma brasileira no Pro Wrestling.

WM: Você acha que é possível uma comunicação entre Pro Wrestling e MMA?
Christi Jaynes: Absolutamente.

WM: O que você acha da atual presença de brasileiros em grandes empresas de luta livre, como a WWE e a TNA?
Christi Jaynes: Eu acho que é muito bom, mas pro wrestling não deve ser baseado sobre onde você nasceu ou de que raça você é, mas na sua habilidade e talento.

WM: Quais são seus planos futuros para a carreira?
Christi Jaynes: Eu adoraria começar a trabalhar para algumas empresas maiores.

Veja também:  Marty Scurll gostaria de enfrentar CM Punk

WM: Deixe uma mensagem para o público brasileiro.
Christi Jaynes: Obrigado a todos por me apoiarem muito e me seguirem nessa jornada. Obrigado por me seguirem na minha viagem ao Japao e todo o apoio. Te amo, Brasil!

Clicando aqui você confere o canal de Christi Jaynes no YouTube, e clicando aqui você confere o Twitter dela.

Deixe um Comentário

comentário(s)