Esgoto Extremo #2 – Divas Revolution

esgoto bannerÀs vezes eu fico pensando em um nome melhor para essa coluna, mas eu não consigo achar nenhum com um efeito mais hilário do que Esgoto Extremo. Enfim, Rodrigo “Rato” Péret de volta com sua coluna após algum tempo longe. E desta vez irei deixar público alguns dos meus pensamentos sobre o modo como a WWE está trabalhando a chamada “Divas Revolution”. Resumidamente, irei focar nos defeitos que percebi desde o início dessa chamada “revolução”. Cliquem no “mais” para lerem.

A história começou no dia 13 de julho, com a subida das divas Charlotte, Sasha Banks e Becky Lynch para o elenco principal. O trio, ao lado de Bayley, fazia chover na divisão feminina da NXT, tendo em diversas ocasiões realizado as melhores lutas dos eventos da divisão de desenvolvimento da WWE. Charlotte e Sasha se destacavam um pouco mais do que Becky e Bayley, muito devido à rivalidade entre as duas e também pelo carisma natural que Sasha possui. Porém, tudo começou errado já naquele dia 13 de julho.

Para aqueles que não se lembram, Stephanie McMahon veio ao ringue e anunciou a “Revolução das Divas”, subindo as três lutadoras e colocando-as em trios (Sasha com Naomi e Tamina, Charlotte e Becky com Paige) para combater o trio formado pelas Bellas e por Alicia Fox. Oras, uma revolução já começa errado quando a chefe da empresa vem ao ringue anunciá-la. Para que dar holofote a Stephanie? Qual é o background de Sasha com Naomi e Tamina para que ela, que se considerava a “Boss”, virasse uma “Lackey” de Naomi, a real líder do grupo dela? E porque colocar Becky e Charlotte juntas no mesmo grupo? Você basicamente retira qualquer possibilidade de ver as duas se enfrentando a curto-prazo, e as força a ter que lutar contra divas que o público já está de saco cheio de ver (As Bellas, resumidamente).

Veja também:  Espelho de Circo - O retorno de Paige e a despedida de Eva Marie

Essencialmente, o erro foi ter subido as três garotas de uma só vez, não dando tempo para que o público da RAW (que em sua maioria não acompanha o NXT, logo não  conhece as três) pudesse conhecer e reconhecer as garotas. Como foi feito com Neville. Como foi feito com Kevin Owens. Como foi feito com todos os homens que subiram da NXT. Nenhum deles foi apresentado por Stephanie, Triple H ou qualquer outra autoridade (Sami Zayn foi apresentado por Bret Hart, mas nesse caso é coerente devido aos dois serem “Canadian Hero’s. E Zayn nunca mais apareceu na RAW depois daquilo). Ou seja, ao invés de fazerem um trabalho para garantir que as três garotas com maior potencial de mudar a divisão tivessem um apoio do público, eles simplesmente as jogaram na storyline envolvendo Paige, Bellas e Naomi, que ninguém realmente tinha interesse. O resultado disso foram lutas e mais lutas de trios onde o público, que não conhecia as divas oriundas da NXT e odiavam as Bellas, simplesmente não reagia positivamente, tendo no máximo gritado o nome de Sasha Banks quando a mesma não estava na luta, provavelmente porque a mesma havia lutado para o mesmo público na noite anterior, no NXT Takeover.

Veja também:  Espelho de Circo - O retorno de Paige e a despedida de Eva Marie

A WWE parece estar tentando ajustar a situação e separar os trios o mais rápido possível. Rumores contam que o plano é criar uma tensão no grupo P.C.B., para que o trio se separe e cada uma possa seguir seu caminho. Ou seja, perceberam que Charlotte e Becky não possuem nada a ganhar ficando juntas, e menos ainda ficando na sombra de Paige. Uma pena que o segmento do Miz TV envolvendo as divas tenha sido tão mal trabalhado, mas o “Beat The Clock Challange” parece ser um passo positivo para que essa separação finalmente aconteça.

Falando no “Beat The Clock”… Qual o motivo para Nikki Bella ainda estar com o cinturão? Qual o sentido de criar uma “Divas Revolution”, e não focar numa mudança de cinturão? As Bellas são um fator negativo na divisão já há muito tempo, e está claro que o público não aguenta mais vê-las. Naomi,  Paige, uma das três ex-NXT… Qualquer uma conquistando o cinturão já daria um ar mais positivo para a história e uma atenção maior do público. Ao invés de vermos uma mudança, como prometia a “Divas Revolution”, vemos a mesma Bella carregando o cinturão para lá e para cá, sem defendê-lo quase nunca. Só a WWE para fazer uma revolução onde as coisas não mudam.

Veja também:  Espelho de Circo - O retorno de Paige e a despedida de Eva Marie

Irá Charlotte vencer Nikki na próxima defesa de cinturão? Esperamos que sim, pois isso significaria uma chance de mudança, tanto para a separação da PCB (com um heel turn de Paige) quanto para nós não vermos nenhuma das Bellas com o cinturão nunca mais. Só assim veremos uma real revolução, que pode muito bem ser trabalhada com uma rivalidade envolvendo Charlotte, Paige, Becky, Sasha e Naomi pelo cinturão.

Ah, e antes de terminarmos a coluna, um questionamento: Por quê Natalya não está envolvida em nada dessa história? Foi ela quem deixou Charlotte “over” lá em Maio de 2014, quando começamos a ver uma mudança no padrão das Divas da WWE. Natalya é sem sombra de dúvidas a melhor lutadora das veteranas do plantel principal, e deveria estar de algum modo envolvida nessa “revolução”, até para servir de escada para as novas garotas. Charlotte poderia fazer maravilhas lutando novamente com Natalya, mas ao invés disso, está presa lutando com Nikki, Brie e Alicia Fox. É potencial desperdiçado, que a WWE tem que parar de jogar fora.

Resumindo, a WWE está conseguindo estragar uma chance fantástica de melhorar a situação da sua divisão feminina, mas ainda há tempo de evitar isso. Basta colocar jogar as Bellas para escanteio, focar a divisão em Charlotte e Sasha e não tratar as Divas apenas como Eye Candy. Só aí a tal “Revolução” realmente acontecerá.

Escrito por Rodrigo Peret

Estudante de Jornalismo, redator e colunista do Wrestlemaníacos. E ídolo do Izac Luna.

Deixe um Comentário

comentário(s)