Esgoto Extremo #4

esgoto bannerEu pretendia postar mais uma parte da série das Lendas Urbanas do Pro-Wrestling, mas vou aproveitar que estou finalmente de férias para escrever novamente na minha coluna de opiniões. O tema combina com meu texto, já que “Esgoto Extremo” era uma referência ao meu apelido (Rato) e à empresa que era a minha favorita quando comecei a assistir Pro-Wrestling (ECW). No próximo domingo teremos o Pay Per View Tables, Ladders and Chairs (que na minha opinião é o pior nome possível para um PPV) que é tradicionalmente um evento com lutas mais “Hardcores” e ainda contará com a presença de um dos meus lutadores preferidos, Tommy Dreamer, que é, aliás, um dos focos centrais da minha argumentação hoje. Para conferir minha opinião sobre o TLC, Tommy Dreamer e outros assuntos relacionados, clique no mais.

Amanhã é o TLC, último PPV do roster principal da WWE de 2015. E eu preciso ser sincero com vocês: Estou com bem pouca vontade de assistir ao evento. Claro, provavelmente teremos algumaslutas interessantes, afinal de contas um PPV baseado em cadeiras, mesas e escadas vai agradar pelo menos em questão de spots perigosos, principalmente na Triple Threat Ladder Tag Match, que muito provavelmente será a luta mais marcante deste PPV já que é uma luta perfeita para Kofi Kingston, Kalisto e os Usos fazerem algumas loucuras (e pro Sin Cara cometer alguns botches, rs). Mas os shows semanais da WWE fizeram um trabalho tão ruim na preparação das histórias das lutas, que eu me arrisco a dizer que esta é a pior fase da WWE desde 1995.

Vocês já devem estar cansados de ouvir as pessoas falando sobre como Roman Reigns está sendo empurrado goela abaixo pela equipe de escritores dos shows para que os fãs o aceite como o novo “Top Guy” da empresa. Algumas pessoas ainda odeiam Reigns pelo que ele representa e absolutamente detestam qualquer luta em que ele esteja envolvido, mas eu tenho observado evolução. Quando a Shield acabou e todos começaram a prever que Roman receberia todo o destaque, fui o primeiro a dizer que o primo de The Rock deveria ficar ao menos um ano no midcard, seja na divisão de duplas ou disputando um cinturão menor. Eu disse isso não porque não via qualidade em Roman, mas sim porque ele estava completamente verde na época, e não sabia se portar com um microfone. Atualmente, Reigns ainda não chega a ser um lutador capaz de carregar lutas nas costas, mas é nítido que ele evoluiu ao menos um pouco. No microfone ele melhorou também, mas ainda não está nem perto do nível de um Main Eventer. Eu realmente tenho um pouco de pena dele: Ele não parece ser um cara arrogante na vida real, parece se esforçar para melhorar, mas parte do público (os fãs da internet, principalmente) criou uma antipatia tão grande com ele que, se ele não fosse o “escolhido” para suceder John Cena, ele já teria se tornado heel para se aproveitar dessa reação negativa. Para além de tudo ele ainda foi colocado numa rivalidade com Sheamus, que agora lidera uma stable completamente aleatória e que deixa claro o desespero da WWE em tentar tornar um lutador que ainda está meio verde na grande estrela do show, já que reuniram 4 dos principais heels da empresa num grupo para derrotá-lo.

Sheamus como campeão por si só já é uma coisa engraçada. Na realidade, a Money in The Bank é um conceito que está enfraquecendo cada vez mais, porque a WWE, ao invés de fazer o vencedor da maleta ficar credível até cobrá-la, faz com que o lutador sempre perca  várias e várias lutas, suma dos shows por uns tempos para aí então cobrar o título e se tornar um campeão sem graça. Custava colocar Sheamus ameaçando cobrar a maleta contra Seth Rollins ao longo do ano, para mantê-lo relevante? A criação da League of Nations foi uma tentativa desesperada de dar um destaque para Sheamus, já que ele como WWE Champion é algo totalmente irrelevante e passa total ar de “campeão transitório”. Se ele perder o cinturão já no TLC, sairá totalmente descredibilizado. Porém se ele vencer teremos de aturar ao menos mais um mês dessa storyline que não está ajudando em nada nos ratings da empresa.

Passando do provável Main Event da noite para a luta que eu mais queria abordar com vocês, a Team ECW vs Wyatt Family. Para início de conversa, eu gostaria de dar os parabéns para a WWE por explorar a marca ECW pela enésima vez. Foi algo feito em 2001 durante a InVasion (apesar de que o grupo se uniu à WCW na storyline), feito novamente em 2005, com o One Night Stand, em 2006, quando a ECW virou a terceira brand da empresa até 2010, e novamente agora em 2015. O uso da ECW e de seus antigos lutadores já se tornou algo chato e repetitivo, já que até a TNA já utilizou dessa fórmula para trazer audiência. Chega um ponto em que a nostalgia se torna cansativa, e por mias que eu adore Rhyno e Tommy Dreamer, não, eles não são (ou pelo menos não deveriam ser) ameaças para a Wyatt Family. Pelo amor de deus, o que a WWE quer com a Wyatt Family, afinal de contas? Porque diabos Rhyno e Tommy Dreamer, dois lutadores que foram jobbers/low mid carders durante anos na WWE seriam ameaças para eles? Isso é diminuir a Wyatt Family, um grupo que deveria estar alcançando um patamar mais importante do que atacar pessoas aleatoriamente só para terem uma rivalidade sem sentido durante alguns meses.

Considerando que a luta terá aspectos hardcore que lembram a ECW, é até coerente a presença de Rhyno e Tommy Dreamer, dois ex-ECW Champions que possuem experiência nesse tipo de luta. Mas a presença dos dois desvaloriza a importância da Wyatt Family num geral, já que Dreamer e Rhyno nunca foram tratados como grande coisa na WWE. Dreamer foi um jobber durante todo o tempo, no máximo recebendo algum destaque quando iria lutar em alguma Hardcore Match ou atuando como gatekeeper na ECW da WWE. Fico com a sensação de que os Wyatt merecem coisa melhor, principalmente Bray, que já deveria ter se envolvido com alguma rivalidade por algum cinturão. A luta vai ser boa, disso eu não tenho dúvidas, mas se os Wyatt não vencerem, eu realmente desisto de levar os Wyatt a sério.

Quanto às outras lutas, apenas Kevin Owens e Dean Ambrose possuem algum aspecto interessante, justamente pela credibilidade que Owens tem mantido como campeão. Charlote vs Paige deverá ser uma boa luta apesar de a citação da morte do irmão de Charlotte ter sido completamente desnecessário, Del Rio vs Swagger só será interessante se Zeb Colter voltar a ser manager de Swagger, alongando e tornando minimamente interessante a rivalidade entre os dois lutadores, e Rusev x Ryback é uma luta tão aleatória que eu nem sei o que dizer sobre ela. Eu não duvido que em geral o evento seja bom, mas ele analisando o card antecipadamente, ele pouco atrai o interesse e é um retrato perfeito da situação atual da WWE: Lutadores com potencial para fazerem boas lutas, porém storylines chatas, pouco interessantes e um péssimo aproveitamento do potencial dos lutadores. Ainda bem que mês que vem é o Royal Rumble, e talvez as coisas fiquem mais interessantes com o início oficial do “Road to Wrestlemania”. Se bem que, considerando o último Royal Rumble… Hmm, o futuro da WWE vai ser no mínimo complicado.

Escrito por Rodrigo Peret

Estudante de Jornalismo, redator e colunista do Wrestlemaníacos. E ídolo do Izac Luna.

Um comentário

Deixar uma resposta
  1. Pela reacao da galera extremamente positiva para Dean Ambrose (Ao contrario das vaias para o Roman) no ppv Survivor Series 2015 é o Cara que deveria ter um destaque na WWE ha muito tempo, so eles que nao ve isso. Kevin Owens é a “Bola” da vez tambem…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *