Esgoto Extremo #9 – WWE Draft 2016: O que pensar?

esgoto banner

Alô vocês, Rodrigo “Rato” Péret e a coluna Esgoto Extremo estão de volta. Hoje irei realizar uma análise sobre como o Draft a ser realizado na próxima terça-feira (19/07, no Smackdown ao vivo) afeta a WWE neste momento, além de algumas previsões minhas do que irá acontecer no próximo show da brand azul da WWE.

A decisão de dividir o plantel novamente gerou certa discussão, com fãs e jornalistas especializados possuindo diferentes opiniões sobre o acontecimento. Por um lado, há a opinião de que recriar a competição entre duas brands pode ser favorável para uma melhora nos shows, e um melhor aproveitamento dos atletas presentes na empresa. Por outro, há a crítica de que a estratégia seja algo feita sem grande planejamento, apenas para gerar sensação de nostalgia ao público e que pode não dar certo justamente por estar sendo feita às coxas. É sabido que Vince McMahon gosta de mudar de ideia o tempo inteiro, e há um medo de que o mesmo decida mudar de ideia daqui a alguns meses e acabar novamente com a divisão de plantel, o que poderia ser prejudicial para a imagem da empresa.

Shane Stephanie

Planejamento, aliás, é uma das maiores críticas à decisão. Afinal, o Brand Split acabou em 2011, e os títulos mundiais de cada brand (o WWE Championship e o World Heavyweight Championship) foram oficialmente unificados em 2013, durante a (enésima) luta entre John Cena e Randy Orton no TLC. De acordo com informações do jornalista Dave Meltzer, um dos mais conceituados quando o assunto é Pro-Wrestling, o plano atual da WWE é voltar a ter dois cinturões principais. Ou seja, para quê acabar com a divisão do plantel, para dividir novamente quatros anos depois? E para quê unificar dois cinturões de porte mundial, para três anos depois desunificar/criar um novo segundo cinturão mundial? A confusão mental da WWE é prejudicial para o produto da empresa, que acaba flutuando no ar sem uma direção definida.

Randy Orton

Meltzer, aliás, comentou durante entrevista para o programa de rádio canadense Live Audio Wrestling que o plantel atual não possui profundidade para uma divisão, o que forçaria a empresa a subir lutadores do NXT para o roster principal mais cedo do que o previsto. Mas ao mesmo tempo, subir os principais lutadores da NXT poderia matar o projeto, já que o público atual pode vir a perder interesse caso o NXT volte a possuir apenas lutadores muito verdes. Para Meltzer, a tendência é que a WWE comece a contratar mais lutadores, algo que já está acontecendo de certo modo (como no caso dos lutadores participantes do Cruiserweight Classic), mas Meltzer teme que o NXT perca a relevância atual devido ao grande fluxo de lutadores indo para as duas brands principais. Em suma, o NXT se tornaria o equivalente a o que a ECW foi durante a última divisão de plantel – Um local para lutadores novos surgirem e para alguns veteranos lutarem eventualmente, o que por um lado pode ser interessante pois possibilita que o NXT sirva como uma ponte para o surgimento dos novos atletas, mas há de se questionar se o público se manterá firme após o plantel mudar de um grupo de lutadores formados em sua maioria por atletas vindos de empresas indys para um grupo de lutadores formados quase exclusivamente pela WWE Performance Center, sem experiência no cenário Indy.

USA Network

Um dos maiores motivos que influenciaram a WWE a tomar a decisão de redividir o plantel envolve o canal que transmite o Smackdown nos Estados Unidos, que foi inclusive o motivo do fim da brand Split original. Ocorre que a USA Network, dona atual dos direitos de transmissão do Raw, exigia a presença dos principais talentos da empresa no programa para ampliar a audiência do show. Com isso, o Smackdown, que ficava prejudicado (tendo migrado para três canais diferentes ao longo dos anos, inclusive). Porém, desde janeiro de 2016 o Smackdown passou a ser exibido também na USA Network, e o canal agora possui uma demanda de que ambos os shows consigam uma boa audiência semanal. Ou seja, agora a WWE pode finalmente dividir seu plantel de maneira igualitária, já que a USA Network possui os dois programas e não irá chiar por ficar sem a presença de um lutador muito importante em seu show (Reparem que John Cena foi draftado pela Raw em 2005, justamente o primeiro ano  em que a USA Network começou a transmitir o programa. Quantas vezes Cena foi draftado desde então? Pois é). Estar com seus dois programas no mesmo canal permite que a WWE tenha maior liberdade tanto para dividir o plantel, quanto para dividir os títulos.  Devido a isso, há a possibilidade de que a WWE mantenha apenas um cinturão principal na empresa, e o campeão passaria a lutar em ambas as brands defendendo seu cinturão. Uma ideia interessante, porém que poderia cansar os lutadores com os cinturões, que seriam obrigados a viajar com ambos os plantéis para os shows e tours realizados ela empresa. Portanto, é provável que vejamos um novo cinturão sendo criado. Resta torcer que ninguém ganhe um título de presente como aconteceu com Triple H lá no primeiro Brand Split…

E vocês? Acham o Draft uma coisa positiva? Acham que finalmente veremos John Cena exclusivo no Smackdown? Deixem seus comentários, e até a próxima coluna. Abraços!

Escrito por Rodrigo Peret

Estudante de Jornalismo, redator e colunista do Wrestlemaníacos. E ídolo do Izac Luna.

Deixe um Comentário

comentário(s)