Histórias dos Bastidores #3 – Lutadores falam sobre The Undertaker, o líder dos vestiários e juiz do “Tribunal do wrestling”

banners historias

Chegamos à terceira edição do Histórias dos Bastidores, e dessa vez vamos ver algumas histórias sobre The Undertaker. Clicando no mais você verá histórias sobre o ‘Deadman’ envolvendo sua liderança marcante nos bastidores, seu envolvimento com o “Tribunal da WWE”, clubes de Strip, LSD e até mesmo uma atriz pornô.

A postagem original é do site ProWrestlingStories. O Wrestlemaníacos realizou a tradução da postagem para a língua portuguesa.

Sgt. Slaughter, sobre ter descoberto The Undertaker:

Quando eu estava trabalhando no escritório da WWE lá em Connecticut, parte do meu trabalho era lidar com caixas de cartas e currículos. Uma delas era de um garoto chamado Mark Calaway, que tinha cabelo curto vermelho e estava trabalhando na WCW.

Era uma fita de vitória e uma pequena carta dizendo que ele estava interessado.

Na época, ele estava em uma dupla [The Skypscrapers, ao lado de Dan Spivey]. Eu lembro que num sábado fui até o escritório de Vince McMahon e disse que tinha esse cara que deveria receber uma chance, e Vince confiou em mim.

WWE o trouxe para Rochester, N.Y., e eu apresentei o lugar a Mark. Eu disse a ele ‘Você lutará na primeira luta do show.’

Durante a luta, eu estava com um dos fones de ouvidos e escutei Vince me dizer ‘Onde você achou esse cara? Mande-o até o meu escritório.’

Mark após a luta veio me perguntar como ele foi, e eu disse que Vince queria vê-lo. Ele pensou que tinha feito alguma coisa errada…

Nós tínhamos reuniões após os shows para falar sobre o que aconteceu e planejar as coisas. O tópico da conversa se focou em Mark e Vince disse que tinha uma ideia de um nome de personagem, e trouxe à mesa o nome ‘Paul Bearer’. No dia seguinte eu fui até Vince e disse que não me importava com o nome que Mark utilizaria, mas achava que ele tinha uma aparência diferente do que aquilo que ele sugeria. Eventualmente Vince teve a ideia do nome Undertaker, e eu sugeri que deveríamos fazer de Paul Bearer seu manager.

 

Bret Hart, sobre seu primeiro e último encontro com The Undertaker no ringue

Era bizarro conhecer a nova personagem que Vince havia criado: um garoto alto de cabelos vermelhos vindo de Houston chamado Mark Calaway, com maquiagem para que ele ficasse coma aparência de um cadáver. Ele era o Undertaker, vestido todo de preto, usando um chapéu de aba larga. Pat Petterson explicou para todos nós que Vince queria que ele ficasse super over, ao ponto de afirmar que Undertaker deveria estar sempre com os pés no solo, nunca sendo levantado por ninguém.

Quando Undertaker fosse eliminado daquela Survivor Series Match por desqualificação, eu seria o último homem de pé contra o Million Dollar Man [Ted DiBiase].

O destino quis que eu fosse o primeiro lutador da WWF a encarar The Undertaker no ringue. Mal eu sabia que mais tarde ele seria também o último lutador com quem eu trabalharia na WWF [Bret se refere a um house show realizado dias antes do Montreal Screwjob, onde Undertaker, Mankind e Steve Austin venceram a Hart Foundation. Além disso, em 1997 era comum que nos house-shows os dois se enfrentassem, seja em lutas singulares ou em equipe].

Jake “The Snake” Roberts, sobre viajar com Undertaker

Eu estava lá quando ele chegou na WWE. Ele veio até mim e disse ‘Ei, eu ouvi que você sabe onde todas as casas de strip estão…’, eu disse que sim, que conhecia todas, e ele então me responde “Então eu vou viajar com você!’. Eu fui bem franco com ele, e respondi ‘Ah, garoto, por quê você não vai voltar a jogar basquete, porque você não vai ser capaz de andar comigo… Eu vou acabar matando você…’

E algumas semanas depois, lá estava ele em péssima forma com intoxicação por alcóol (risos).

 É, mas era um mundo ‘químico’, então eu estava trapaceando, cara. Ele não sabia disso. E eu não ia contar pra ele!

Ele andou comigo por um bom tempo. Somos grandes amigos e eu gosto de pensar que o ajudei muito. Acho que se você perguntar a ele, ele responderia que aprendeu bastante comigo. Eu adoro aquele cara.

Ultimate Warrior, sobre ter sido a primeira grande rivalidade de Undertaker

Eu gostava de Mark. Ele era um cara bom.

Eles o trouxeram e a princípio o mantiveram fora da TV, pensando em que personagem dar para ele.

As pessoas realmente apoiaram a personagem Undertaker. Era criativa, estimulante. Eu gostava.

Mark certamente merece imenso respeito por tudo que conseguiu no negócio.

Eu fui o primeiro cara a trabalhar com ele. Apesar de eu estar muito popular e ser um grande baby-face, os fãs apoiaram a personagem dele. Eu poderia, na posição em que estava, ter sido um babaca e trabalhado para prejudicá-lo.

Muitos caras no nosso negócio passam muito tempo pensando em maneiras para prejudicar outros lutadores, ao invés de gastando seu tempo para se tornar melhores. Ao invés de tentar prejudicar aquela personagem, algo que muitos teriam feito, eu abracei a causa e trabalhei com ele para que ele ficasse popular, visto que a galera nos bastidores esperava muito dele. Ele iria ser um grande talento e eu fiquei inspirado com aquilo. Me fez querer ser ainda melhor.

Quando eu fui colocado dentro do caixão [durante um segmento], muitas pessoas ficaram horrorizadas. Elas diziam ‘meu deus, você vai ficar dentro do caixão… e eles vão fecha-lo!’, como se fosse alguma blasfêmia ou algo do tipo. Não era a minha ideia, mas eu não era contra aquilo. Na verdade eu até fiz piada, dizendo que seria o maior descanso que eu teria em muito tempo!

Randy Savage, sobre Undertaker e o “Tribunal do Wrestling”

Antigamente nos vestiários existia um código – ‘o tribunal do wrestling’ – e Vince McMahon costumava honrar aquilo.

Era uma época em que se você estivesse fizesse algum tipo de coisa errada, você poderia ser chamado para dar explicações para todo mundo.

Seu valor de entretenimento era inacreditável.

The Undertaker era o juiz. Um dos promotores era o Brian Adams [Mais conhecido como Crush]. Não é mais como era antigamente, mas eu ouvi dizer que eles quase voltaram com aquilo, porém o Undertaker não estava lá para fazer. Mas eu tenho saudades daquilo.

Eu nunca fui chamado para dar explicações à corte, mas eu estava sempre na audiência. Eu acho que escapei várias vezes do tribunal porque as pessoas me respeitavam por eu ser ‘da velha guarda’ ou algo do tipo. Além disso eu conhecia o Master Fuji de maneira íntima e ele era o rei das pegadinhas. Ele poderia me proteger. (risos)

Eu só vou dizer que haviam muitas brincadeiras e pegadinhas entre os lutadores, e haviam muitos ‘pescadores pacientes’. Você poderia receber sua sentença ali, mas seria a primeira de várias. Você não quer deixar os garotos bravos com você, mas ao mesmo tempo você tem que defender seus direitos. E os garotos vão escutar. Eles são ótimos. Se você os tratar bem, respeitá-los, eles irão mover paredes por você.

Wrestling é uma fraternidade, e os garotos vão trabalhar duro por você contanto que você os repeite e não minta. Você não pode pisar em cima de ninguém, senão todo mundo irá pisar em cima de você.

Aqui vai a verdade… não há caras durões no wrestling. Se você chegar e agir como se fosse um cara durão, você vai enfrentar problemas no segundo em que entrar nos vestiários…

Paul Bearer, sobre o medo que Undertaker tem de Pepinos

Durante uma entrevista com Jim Cornette, Paul Bearer falou um pouco sobre o medo de pepinos que Mark Calaway possuía. Os dois viajam juntos sempre, muito por conta da preocupação de Taker de proteger a personagem, manter a kayfabe (um dos motivos pelo qual é raro ver Mark fora de seu personagem nas câmeras). Assim, sempre que os dois viajavam juntos, Bearer era obrigado a ser o cara que saía do carro para encher a gasolina. 

Paul Bearer conta que certa vez Taker o obrigou a encher o taque do carro mesmo com ele estando apertado para ir ao banheiro. Bearer acabou mijando nas calças, e Taker espalhou a história para Vince McMahon e para todo mundo dos bastidores. 

Como ele se vingou? Paul conta que sabia que Taker tinha uma fobia bizarra de pepinos, e decidiu encher o chapéu do Deadman com o vegetal. Quando Taker pegou o chapéu e percebeu os pepinos, ele pirou, jogou o chapéu longe e ficou em choque.

Kevin Nash, sobre Undertaker e Jack Daniel’s

A bebida preferida de The Undertaker é o uísque Jack Daniel’s, de acordo com Kevin Nash, que que afirmou que o Deadman ama a bebida. 

Apesar de ser improvável que Undertaker ainda beba em grandes quantidades, em 2000 ele possuía uma grande barriga de chope devido ao uísque. Talvez ele até tenha abandonado a bebida de vez, visto que em 2003 ele afirmou no livro “WWE Unscripted” que sua então esposa Sara mostrou-lhe a felicidade sem a necessidade de beber. 

Antes de Undertaker parar de beber, ele bebia com muita frequência, de acordo com Nash. Undertaker era conhecido por adorar festas e regularmente pegar uma limousine com Nash e Charles Wright (Mais conhecido como The Godfather) onde eles ficavam bêbados e iam para clubes de strip em Nova York ou Las Vegas. Essas sessões de bebida duravam anoite inteira… Nash e Taker basicamente amavam strippers e uísque.

A associação entre Undertaker e a pornstar Jenna Jameson

Em sua autobiografia “Como fazer amor como uma pornstar”, Jenna Jameson revelou que The Undertaker costumava andar com ela quando ele estava na estrada em Las Vegas. Jameson tinha apenas 16 anos na época e observava com timidez as visitas da estrela do wrestling ao estúdio de tatugaem no qual ela trabalhava. Supostamente eles acabaram se tornando bons amigos.

Jameson provou em seu grupo ser um exemplo perfeito de um mark, ou alguém que acredita na kayfabe do pro-wrestling. “Undertaker era um dos maiores lutadores da WWF na época. Ele colocava pessoas em caixões e colocava fogo. E a coisa mais assustadora é que o personagem que ele fazia não era um ato”, ela detalhou no seu livro.

O Deadman teria até tentado alguma coisa com Jenna, dizendo a ela: “Eu vou bater no seu namorado e levar você embora comigo”. Ela comenta no livro sobre a situação. “Eu sabia que ele estava falando sério. Eu corri para o andar de cima e disse a Jordan que tínhamos de ir embora, porque aquele cara ia bater nele e me sequestrar. Então eu nunca mais o vi.”

 

 

Justin Credible, sobre a vez em que usou LSD com Undertaker

Justin Credible contou em uma shoot interview que sua primeira experiência com LSD foi com The Undertaker em uma vôo para a Europa. Quando Credible começou a sentir os efeitos da droga, ele ficou apavorado ao ver Undertaker imitando movimentos de um Gato e ronronando para ele. Em outra ocasião, Credible teria dito que Undertaker também colocou sua língua para fora e rolou os olhos para trás, para intimidá-lo. Credible diz que quase teve um ataque cardíaco nesse dia. 

Essa curiosa anedota mostra que Taker era amigável ao ponto de viajar com lutadores do lower card da empresa, e era tranquilo o suficiente para ter alguma diversão. Também mostra a cultura da droga presente na WWF naquele período, ao ponto de usar LSD ser algo trivial entre dois lutadores. 

The Rock, sobre o caráter de Undertaker

Teve um incidente específico onde eu entendi exatamente o tipo de homem que Undertaker é.

Foi quando eu estava recebendo minha grande oportunidade, pronto para ir para o patamar superior. The Rock estava ficando popular com o público, se tornando uma estrela, eu estava prestes a conseguir um sucesso que poucos lutadores conseguem.

Undertaker, é claro, já estava naquele nível, e ele seria meu oponente em uma cerca edição do Raw.

Nós estávamos em Detroit, na Cobo Arena, e a decisão havia sido feita de que eu iria vencer aquela luta. Então, essencialmente, meu destino estava nas mãos de Undertaker.

Ele tinha a oportunidade de, sozinho, me lançar ao próximo nível… me colocar próximo do nível que ele estava. E ele também tinha o poder de me fazer parecer medíocre.

Undertaker nunca iria deliberadamente fazer alguém parecer uma merda, porque ele é muito profissional. Ele é muito inteligente, tem muita visão de negócios, para fazer esse tipo de coisa. Acho que esse é inclusive um dos motivos de ele ser um sucesso.

Mas ele tinha outras opções.

Ele poderia muito bem ter dito ‘Faça o The Rock me vencer por desqualificação.’ Ele poderia ter dito, ‘Faça The Rock me atingir com uma cadeira, me nocautear assim.’ Desse jeito todo mundo poderia dizer, ‘ The Rock teve que usar uma cadeira para vencer o Undertaker.’ Estava literalmente dependendo do que ele quisesse. Tudo que havia sido determinado era o resultado final: The Rock venceria, e Undertaker perderia. Como nós iríamos chegar até aquele ponto dependia do que Undertaker quisesse.

Sua decisão foi de perder para mim de modo limpo – um-dois-três! – no meio do ringue. Não apenas isso, mas ele decidiu que seria melhor se ele fosse derrotado pelo meu finisher, o Rock Bottom. Isso iria trazer exposição máxima para The Rock e o nível máximo de entretenimento para o público. Me fez perceber que tipo de profissional esse cara é.

Eu nunca vou esquecer o dia em que encontrei Undertaker antes da luta e disse ‘ Cara, eu acabei de ouvir que o final vai ser limpo. Você tá confortável com isso? Tem certeza de que quer que seja assim?

Ele olhou para mim e disse, sem hesitar ‘Mas é claro. É o seu momento, é a sua hora.’

Tendo crescido dentro do negócio, e tendo visto o negócio ter sido conduzido de várias maneiras diferentes… Eu não pude deixar de ficar movido por um gesto tão impressionante. Eu não poderia agradecê-lo o suficiente, mas tentei mesmo assim. ‘Alguma hora eu vou ter a oportunidade de fazer o mesmo por você,’ eu disse. ‘ E eu quero que você saiba que eu farei num piscar de olhos.’

Kurt Angle, sobre a vez em que Undertaker quase o sufocou de verdade

Kurt Angle, em sua autobiografia “It’s true, it’s true”, conta uma história sobre Undertaker envolvendo também Vince McMahon.

Kurt e Vince estavam em uma pequena brincadeira por várias semanas onde um jogaria o outro no chão de surpresa, com um takedown. Para a satisfação do chefe, ele havia sido capaz derrubar Kurt (que, lembramos, é um medalhista de ouro olímpico em wrestling amador) uma vez, e fazia questão de lembrar a Angle disso toda a vez que podia. 

Tudo ok, mas o medalhista olímpico queria vingança. Ele planejou seu ataque surpresa para ser realizado durante uma viagem para a Europa. Avistando o chefe distraído, Kurt se jogou com tudo em direção a Vince. Mal sabia ele no que havia se metido. Vince passou o resto da viagem esperando para se vingar, e eventualmente conseguiu um takedown que acabou resultando em uma luta de brincadeira no chão. 

A brincadeira estava divertida, mas um certo homem de mais de dois metros de altura estava dormindo não muito distante dali, e acordou assustado vendo seu chefe no chão “brigando” com Kurt. Undertaker não pensou duas vezes e reagiu se jogando em Kurt e sufocando-o, ao ponto do mesmo quase acabar desmaiando! 

Rapidamente Vince explicou a situação antes que Angle fosse posto pra dormir, e os três riram da situação. 

Chris Jericho, sobre a NWO indo pra WWE e a importância de Undertaker

Haviam alguns membros do plantel que lembravam como era na WCW como a NWO estava no poder, e eles não estavam animados com a chegada deles à WWE. Todo mundo do vestiário estava incerto do que realmente iria acontecer quando eles chegassem. Eles iriam destruir o clima dos vestiários com suas atitudes idiotas? Eles iriam usar os mesmos truques que usaram com Eric Bischoff em Vince McMahon? Quem poderia impedí-los? Quem iria nos salvar?

Só tinha um homem com poder para combater a NWO. Eu tive que ir atrás do cara que tinha o respeito de todo mundo e a maior influência possível dentro da empresa. Ele era o oráculo, o cara. Ele era o Deadman.

Eu expliquei minhas preocupações a Undertaker, e ele escutou intensamente antes de dar sua opinião.

‘A diferença aqui é que Vince é o chefe. Ele está no poder e todos sabemos disso. Na WCW haviam vários chefes, e isso fez ficar fácil pra eles fazerem o que quiserem. Esses caras vão fazer negócios e fazer o que são mandados, e se não fizerem, eles não vão durar. Eu vou me certificar disso.’ E após isso acenou e se retirou. O mestre havia falado. E tudo iria ficar bem.

A Bone Street Krew

Uma das mais relevantes tatuagens de Undertaker é a B.S.K. Pride em seu abdômen.

Na realidade essa tatuagem foi resultado de um Undertaker bêbado numa noite em que vários lutadores estavam saíram juntos e fizeram piadas sobre o grupo Kliq, liderado por Shawn Michaels. A ‘Bone Street Krew’ acabou sendo criada naquele dia, consistindo-se de Taker, Yokozuna, Charles Wright e outros. Isso foi confirmado em entrevistas feitas com Kevin Nash, X- Pac e Paul Bearer. 

o grupo não era nada sério, apenas uma brincadeira se comparada ao poder real da Kliq nos bastidores. Undertaker na realidade tinha uma boa amizade com Kevin Nash, então não era como se ele estivesse tentando rivalizar com a Kliq ou sacaneá-la. Era apenas uma maneira engraçada de mandar uma mensagem ao grupo de que existiam outras coisas nos bastidores da WWF. 

Apesar de Taker talvez se arrepender da decisão de fazer a tatuagem, pode-se dizer que é uma das mais intimidantes do pro-wrestling até hoje. 

Sobre a vez em que ele ameaçou Shawn Michaels (com comentários do próprio Shawn Michaels sobre o assunto)

A mais infame história de Undertaker não poderia ficar de fora. Falo, é claro, da vez em que ele colocou suas luvas e ameaçou Shawn Michaels.

Taker fez isso porque ficou cansado de ver Shawn zoando com os negócios. O Heartbreak Kid deixou de lutar e  perder para Bret Hart na WrestleMania 13 por conta de uma lesão (que muitos acreditam ter sido forjada), e em seguida teve todo o envolvimento no screwjob de Bret Hart no Survivor Series de 1997, o que foi um choque para todo o vestiário. Por ter conspirado com Vince para mudar o resultado sem o conhecimento de Bret Hart, Michaels traiu todo o plantel de lutadores, o que deixou Undertaker furioso. 

 

Quando a Wrestlemania 14 chegou era a hora de Steve Austin ter seu reinado como WWE Champion. Austin era a coisa mais quente do momento, e tê-lo como campeão principal seria sinônimo de sucesso financeiro para a empresa. Iria Michaels fazer a coisa certa e perder para ele? Undertaker, como líder do vestiário, não iria dar chance ao azar. Ele colocou Michaels contra a parede e mostrou os punhos, dizendo a estrela egocêntrica que se ele fizesse algo além do combinado, iria ter de encarar as consequências. 

O resultado não teve surpresas: Michaels perdeu para Austin de maneira limpa e a era de maior sucesso do pro-wrestling teve início.

Enquanto isso, Undertaker tirou suas luvas e continuou seu trabalho normalmente. 

Shawn Michaels comenta sobre o caso:

Na época, Mark [Calaway, the Undertaker] não gostava de mim. Mas em momento algum ele disse que teria me ameaçado pessoalmente, porque ele realmente não me ameaçou olho no olho. Mark apenas chegou para todo mundo e falou ‘Se isso não acontecer do jeito que deve acontecer, eu vou ter um grande problema e Shawn vai ter um grande problema. Eu vou até lá e vou bater nele.’. Mas ele nunca precisou dizer nada para mim. Minha intenção na Wrestlemania XIV era de passar o cinturão para Steve, mas eu queria fazer todo mundo pensar que eu não iria. Obviamente, eu consegui isso. Foi algo extremamente anti-profissional, mas era exatamente aquilo que eu era e o que eu estava fazendo.

Ric Flair, sobre ter trabalhado com Taker na Wrestlemania 18

Uma das melhores experiências que tive na WWE foi ter tido a oportunidade de trabalhar com Undertaker. Nunca vou esquecer dele me pedindo para trabalhar comigo na Wrestlemania 18. Eu disse a ele que a honra era toda minha.

Nunca vai existir outro personagem como Taker… e ele foi um dos grandes responsáveis pelo tremendo sucesso da empresa.

Quando lutei com ele em Toronto, eu estava há algum tempo sem lutar, e vejam o quão legal ele é… ele sabia que eu queria fazer o flip no corner, e ele iria me dar um chute em seguida… mas eu cometi um erro.

Ele então, mantendo o personagem, me agarrou, me botou no corner e disse ‘Garoto… você consegue fazer isso dessa vez?’ (Risos) Eu disse ‘Vou tentar!’ e dessa vez eu consegui.

Nunca vou esquecer de ter voltado para os bastidores após a luta e Jack Lanza [ex-lutador e atual produtor da WWE] me dizendo ‘ Seu velho desgraçado… você ainda sabe lutar!’

Triple H, sobre a influência de Undertaker em seu casamento

Essa história não está na postagem original do ProWrestling Stories, mas é uma história conhecida de Undertaker que achei interessante adicionar ao post.

Triple H comentou em alguns documentários e também num livro sobre a Attitude Era sobre a influência de Undertaker no seu relacionamento com Stephanie McMahon. De acordo com ele, na época todos, até mesmo seus amigos da DX (X Pac, Road Dogg, Billy Gunn e HBK) não gostavam do fato de ele estar namorando Stephanie McMahon em 2000. Todo mundo menos uma pessoa, e essa pessoa era The Undertaker.

Sabendo da influência de Undertaker nos vestiários, Triple H decidiu perguntá-lo sobre o que ele achava de seu relacionamento com Stephanie. Taker respondeu no início que achava ser uma ideia ruim pois faria os rapazes odiá-lo. Porém alguns segundos depois ele mudou de ideia e disse exatamente o seguinte:

Sabe de uma coisa? Foda-se. Que todos eles se fodam. Não é da conta de ninguém além da sua e da dela. Você sabe quem você é; você sabe o que fazer; você sabe como você deve trabalhar com todo mundo.

No dia em que todo mundo descobrir sobre isso, você vai ser o maior pedaço de merda que só chegou aonde chegou por estar transando com a filha do chefe. E sempre haverá um asterisco na sua carreira e tudo aquilo que você fizer daqui pra frente terá sido supostamente dado pra você de graça.

mas você sabe quem você é e o quão duro você trabalha. Você não precisa provar nada para ninguém sobre sua paixão pelo negócio, então vá em frente.

Há algumas outras histórias na postagem original e também várias outras histórias de bastidores sobre Undertaker, mas o post está tão longo que achei melhor parar por aqui. Até a próxima.

Escrito por Rodrigo Peret

Estudante de Jornalismo, redator e colunista do Wrestlemaníacos. E ídolo do Izac Luna.

17 Comentários

Deixar uma resposta
  1. THE UNDERTAKER É O MAIOR E MELHOR WRESTLER DE TODOS OS TEMPOS EM UM CONTEXTO E ANALISE GERAL.

    UNDERTAKER É O WRESTLER MAIS LENDARIO, RESPEITADO, ADMIRADO E REVERENCIADO DO PRO-WRESTLING MUNDIAL.

    THE UNDERTAKER É MUITO MAIS QUE UMA LENDA, UM VERDADEIRO DEUS DO PRO-WRESTLING MUNDIAL.

    #24-1
    #RESTINPEACE
    #TOMBSTONECITY

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *