Lendas Urbanas do Pro Wrestling #2

lendas urbanas banner

Mais uma edição deste quadro que reúne lendas e fatos envolvendo pessoas do Pro-Wrestling mundial. Como eu disse na semana anterior, algumas das lendas presentes podem ser meio pesadas, e é sempre bom relembrar que não é porque a lenda está presente aqui que ela seja verdade. Dito isso, cliquem no + para conferir mais 20 rumores dos bastidores do Pro-wrestling.

  • Virgil, o antigo manager de Ted DiBiase com passagens por WCW e WWE, teria conseguido seu trabalho na empresa dos McMahon após botar, literalmente o pau na mesa do ex-Intercontinental Champion e atual produtor Pat Patterson. Para quem não sabe, Patterson é assumidamente homossexual, tendo assumido sua sexualidade na década de 70.
  • Falando em Patterson, sua homossexualidade é alvo de rumores meio maldosos. Supostamente Stevie Lombardi (Brooklyn Brawler e o segundo Doink The Clown) teria feito parte do harém pessoal de Patterson, e
    Patterson foi o primeiro campeão do título Intercontinental da WWE

    também teria tido um caso com Harvey Wippleman (mais conhecido por ter sido Manager de Kamala). Bret Hart já revelou que certa vez, em meados de 1989/1990, ele teria subornado o colega de quarto de Patterson para manter a porta do quarto aberta, para ver o que estava acontecendo. Apesar de Patterson ser abertamente homossexual desde a década de 70, sua sexualidade não era comentada durante as décadas seguintes devido ao preconceito. Enfim, Bret, Hacksaw Jim Duggan Jim Neidhart e mais alguns caras flagram Patterson e Lombardi juntos no quarto fazendo você sabe bem o quê. De acordo com Bret, Duggan chegou a vomitar após ver a cena.

  • Além de Lombardi, Patterson teria tido um caso com um dos membros da Tag Team “The Quebecers”, mais especificamente Jacques Rougeau (The Mountie na WWF). Paul Roma, parte da equipe Power and Glory, teria sido outro a se envolver com Patterson, buscando um push para sua tag team na época. Supostamente Patterson usou sua posição de poder nos bastidores para realizar algumas trocas de favores com Roma…
  • O personagem T.L. Hopper foi criado supostamente devido a um fetiche que Patt Patterson possuía. Eu não conhecia o wrestler e fui pesquisar sobre. A personagem de Hopper existiu de 1996 a 1997, e ele era um encanador… É, não pergunte.
  • Mudando de foco, vamos falar do nosso suicida, homicida e genocida favorito, que por sinal era bastante hétero. Tanto que durante um show indy, Sabu fez sexo oral com uma das garotas presentes nos bastidores. Quando perguntado se foi bom, ele respondeu “cheire meu bigode”. Eu não sei o que pensar disso.
  • Certa ocasião Sabu estava chutando uma mala escada abaixo, nos bastidores. Quando ele abriu a mala, dentro estava um gato. Sabu estava quicando um gato dentro de uma mala escada abaixo, enquanto possuía a frase “Eu amo gatos” escrita em sua camiseta.
  • Sabu, Jerry Lynn e Simon Diamond são conhecidos por serem caras legais, porém com um vício gigante em metanfetamina. A ex-esposa de Sabu já revelou até que o ex-ECW não consegue andar de manhã sem tomar uma pílula. Durante seu período na TNA, Diamond costumava ficar vinte minutos deitado com uma pílula na boca após suas lutas para aliviar suas dores nas costas. Além disso, Sabu também costuma fumar maconha antes de suas lutas para aliviar a dor
  • Um fã gritou o nome de Sabu durante um show, dizendo que o conhecia. Sabu não gostou e lhe deu um tapa. Mais tarde ele iria acabaria descobrindo que o tal fã na verdade era um amigo de infância que Sabu não via desde o ensino médio

    Nunca mexa no turbante do Sabu.
  • Sabu já atacou outros fãs em outras ocasiões. Ele particularmente odeia quando alguém puxa seu turbante durante a entrada, já tendo dado joelhadas num fã japonês durante um evento na FMW.
  • Eu não poderia falar de Sabu sem citar a história envolvendo a Yakuza. Para quem não sabe a Yakuza é a máfia japonesa, e possui grande influência dentro do Japão em vários espectros. Mike Awesome conta que durante um show da FMW (Frontier Martial Arts Wrestling) a Yakuza estava presente para assistir, e os lutadores foram recomendados a não brigarem onde os mafiosos estavam. Sabu não se importou. Ele jogou seu oponente em direção à Yakuza e realizou seu tradicional suicide dive em direção ao público, atingindo algumas das pessoas próximas. Quando os mafiosos começaram a ir pra cima dele, Sabu começou a socá-los, e acabou tendo de sair correndo para os bastidores, fugindo dos japoneses. Os membros da Yakuza correram atrás de Sabu e começaram a espancá-lo, com a intenção de matá-lo. Mike Awesome, ao abrir a porta de seu camarim, deu de cara com um dos homens pronto para acertar Sabu com uma cadeira. Awesome conseguiu nocautear alguns dos homens e correu com Sabu para uma sala mais distante, trancando o local. Durante uma hora a Yakuza ficou tentando entrar na sala, que estava sendo protegida por um grupo de seguranças. Os mafiosos gritavam, de acordo com Mike, que iriam esfaquear os dois. Depois de muita conversa, os membros da Yakuza se acalmaram e foram embora.
  • Falando na Yakuza, algumas histórias envolvendo membros do grupo e lutadores merecem ser destacadas. A relevância do grupo criminoso é tão grande no Japão que Tajiri, ao vir lutar nos Estados Unidos, se recusou a utilizar uma personagem baseada na Yakuza, por medo de ofendê-los e ser assassinado. Até hoje a Yakuza possui influência no Pro-Wrestling japonês, sendo que em 2012 um escandâlo envolvendo o grupo mafioso e a Pro Wrestling NOAH prejudicou a imagem da empresa fundada por Mitsuharu Misawa e causou a demissão de alguns membros da empresa.
  • A Yakuza possui influência no fechamento da Frontier Martial Arts Wrestling, inclusive. Depois de Hayabusa ficar temporariamente tetraplégico (e atualmente está ainda voltando a se locomover com a ajuda de bengalas, tendo ficado paraplégico durante quase uma década) devido a um erro num Springboard Moonsault, a FMA enfrentou sérios problemas financeiros, fechando eventualmente em 2002. Logo após o fechamento da empresa, Shoichi Arai, presidente da FMW na época, cometeu suicídio. Aparentemente Arai devia uma grande quantidade de dinheiro para a máfia japonesa, e encontrou no suicídio o único modo de fazer sua família pagar a despesa.
  • Ainda sobre a Yakuza, Freddie Blassie conta que certa vez no Japão, ele chegou a bater em vários integrantes do grupo, quando eles estavam bêbados na rua atrapalhando o trânsito. Um dos chefes da facções (que é dividida em vários grupos) mandou a Blassie a seguinte mensagem: “Eu gosto de você, Mr.Blassie. Eu só peço que você não mais bata nesses homens.” Blassie mandou o mensageiro responder que não bateria mais neles se eles atrapalhassem mais o trânsito da cidade. “Eu sei o que ele estava fazendo. Ele estava tentando me proteger. Depois disso ele me mandou vários presentes e se ofereceu para me introduzir a muitas mulheres… Eu, respeitosamente, aceitei todas as ofertas”, completou o ex-lutador.
  • A Yakuza adora os heels. Supostamente eles amavam a nWo Japan, da NJPW. Durante o período em que Inoki comandava a NJPW, a Yakuza basicamente mandava e desmandava em tudo. Dynamite Kid revelou ter visto Inoki levar tapas de um membro da Yakuza sem esboçar qualquer reação. Bad News Allen viu também, e ele possuía conhecimentos em japonês suficientes para saber sobre a Yakuza. Outros que sofreram na mão da Yakuza foram Bob Orton Jr, que chegou a ter de sair do Japão para não sofrer as consequências após ter batido em um membro da máfia, e Vader, que teria sido esfaqueado várias vezes na perna e nos braços. Vader, aliás, teria recebido a visita da Yakuza após discutir com Misawa…
  • Rikidozan, lutador de sumô coreano que foi peça importante para a popularização do Pro-Wrestling no japão, acabou morto pela Yakuza durante uma festa, após brigar com um membro do grupo, que o esfaqueou. Supostamente a morte de Rikidozan teria sido ordenada por Massahiko Kimura, famoso judoca que também teve papel importante para o Pro-Wrestling na época (chegou a fundar uma empresa, a International Pro Wrestling Force, que foi a primeira a possuir lutadores mexicanos no Japão) e é o criador do Kimura Lock, além de ter vindo ao Brasil para lutar com Hélio Gracie em 1949, vencendo o pai do Jiu Jitsu Brasileiro. Kimura havia começado a lutar em 1950 depois de um convite de Rikidozan, e depois de um período lutando juntos, cada um criou sua própria empresa (Rikidozan fundou a Japan Pro Wrestling Association, enquanto Kimura criou a Kokusai Wrestling Association. A mídia na época começou a dar destaque para um possível confronto no ringue entre os dois lutadores no ringue, e ambos chegaram a conversar sobre tal possibilidade (eles já haviam se enfrentado e lutado juntos em dupla, porém nunca disputando um cinturão ou com Kimura recebendo muito destaque quando Rikidozan, que na época era o equivalente ao Hulk Hogan nos anos 80 dentro do Japão). A primeira luta foi realizada, e após um chute errado de Kimura que acertou as partes baixas de Rikidozan, este ficou furioso e começou a lutar de verdade, nocauteando o judoca e vencendo por Knockout. De acordo com Kimura, haveriam três lutas, com a primeira sendo um empate, a segunda decidida num Pedra Papel e Tesoura após outro empate, e a terceira luta terminaria empatada novamente, com outro resultado por Pedra Papel e Tesoura. O próprio Kimura afirma que Rikidozan havia se tornado um louco por fama e dinheiro, e ficou furioso pelo acontecido na primeira luta e por Rikidozan não ter aceitado lutar novamente com ele. Ele admitiu ter recebido um telefonema da Yakuza no dia após a luta, porém disse ter recusado qualquer tipo de ajuda para “acabar” com Rikidozan. Fato é que, quase 10 anos após a luta entre os dois, o ídolo japonês Rikidozan acabaria assassinado por um membro da Yakuza durante uma festa em Tóquio.

    Considerado pai do Puroresu, Rikidozan foi lutador de Sumô antes de migrar para o Pro-Wrestling, e teria ligações com a Yakuza desde muito tempo antes de sua morte. E também adorava uma festinha.
  • Sobre a máfia mais famosa, a italiana, não há muitos relatos envolvendo o Pro-Wrestling. Mas de acordo com Larry Zbyszko, Bruno Sammartino possuía (e talvez até hoje possua) inflência com membros da alta classe a da máfia italiana. Claro, Bruno era tão famoso durante seu auge que muitas vezes pessoas envolvidas com a máfia simplesmente passavam a protegê-lo, querendo Bruno ou não. Freddie Blassie, um lutador da época, conta que durante uma luta com Bruno, ele acabou vencendo por count-out devido a ter atacado Bruno com um chute nas bolas quando o juiz estava distraído. Quando voltou aos vestiários, acabou indo para o vestiário errado, e acabou ficando preso numa sala com várias pessoas, incluindo Jilly Rizzo, amigo de Frank Sinatra. Na época as pessoas ainda achavam que tudo que acontecia no Pro-Wrestling era real, então Blassie não teve escolha além de seguir com sua personagem, provocando Rizzo. Rizzo apontou uma arma para Blassie, porém Bruno evitou uma situação pior dizendo a Rizzo para não se preocupar, pois cuidaria de Blassie no ringue.
  • Ainda sobre a máfia italiana, há a história envolvendo Lou Abano. Na época ele era parte de uma dupla chamada The Sicilians com Tony Altomare, e eram os WWWF United States Tag Team champions em 1967. Lou e Altomare vestiam um chapéu branco e uma luva preta e antes de suas lutas eles levantavam o braço com a luva gritavam “Máfia!”. Eles pararam com isso quando alguns caras representando Tony Accardo (um mafioso importante da época) foram conversar com Lou em Chicago. O grupo disse a Lou que eles estavam degradando os italianos, e que não havia nada de Máfia, eles eram apenas homens de negócios. Lou fez um acordo com os homens, e a dupla manteve o nome Sicilians, mas não mais iria usar luvas pretas.
  • Saindo da Mafia, vamos falar um pouco sobre Teddy Hart, membro mais “porra louca” da família Hart. Apelidado de “Broken Hart” (Hart quebrado, um trocadilho com o fato da palavra hart lembrar heart, que significa coração em inglês), Teddy é filho de uma das irmãs de Bret Hart, e é o mais novo dos Harts dentro do Pro-Wrestling. Apesar de talentoso,  Teddy chamou tanta atenção que aos 18 anos foi contratado pela WWE, se tornando o lutador mais jovem a ter assinado com a empresa. Originalmente ele iria estrear utilizando a personagem Blue Blazer, porém sua má atitude nos vestiários fez com que ele perdesse a oportunidade, e seu tio Owen Hart acabasse assumindo a personagem (e morrendo de forma trágica após um erro numa entrada
    Teddy é aquele caso de lutador que teve várias oportunidades pra se dar bem, mas que por ser um babaca nunca concretizou o potencial que possuía.

    especial para a personagem).

  • A má atitude de Teddy não mudou mesmo após a morte de Owen, e ele acabou demitido da WWE em 2002, indo parar na Ring of Honor. CM Punk na época estava na empresa, e possui um ódio imenso de Teddy devido a um acontecimento em um show na ROH onde Hart começou a fazer no-selling (não vender os golpes dos oponentes) e a se mostrar para o público, dando piruetas aleatoriamente. Ele aplicou um golpe não planejado em um membro da Special K do topo de uma jaula, e chegou a vomitar próximo ao ringue depois de fazer várias piruetas aleatórias no ringue. Ele foi demitido, se envolveu numa briga de palavras com Punk (chegou a acusá-lo de beber e usar drogas mesmo sendo um Straight Edge) e mais tarde acabaria indo para TNA, onde reencontraria CM Punk. Punk, ao encontrar com Teddy em um restaurante, espancou Teddy até que Sabu separou os dois. Teddy acabou não lutando um torneio na TNA e Punk acabou demitido da empresa. Teddy também acabou saindo algum tempo depois, e chegou a receber uma nova oportunidade da WWE, mas sua má atitude continuava, e ele acabou sendo demitido novamente em 2006. Até hoje o mais jovem dos Harts no Pro-Wrestling causa problemas, sendo que em 2014 ele foi acusado no Canadá de ter abusado sexualmente duas mulheres.
  • Apesar de terem treinado na academia de Shawn Michaels (Texas Wrestling Academy)  Paul London nunca treinou com Shawn. Quando London foi contratado pela WWE, as pessoas começaram a comentar sobre ele ter treinado com Shawn. London conta que Shawn veio a ele e perguntou “Eu realmente treinei você? Desculpa, é que eu não lembro de você por quê eu estava muito louco na época, mas acho que lembraria de alguém com a sua qualidade”, London então explicou que foi treinado por Rudy Boy Gonzalez, um dos treinadores da academia. Na época Shawn já ahvia vendido a academia para Gonzalez, pois iria voltar a lutar na WWE. Em compensação, Michaels chegou a treinar lutadores como Brian Kendrick e Daniel Bryan (que inclusive revelou quase ter matado Michaels acidentalmente quando tentou aplicar um Hurricanrana e acabou fazendo Michaels cair de cabeça no ringue).

Engraçado como acabei me focando mais nas histórias envolvendo a máfia japonesa nesse post, sendo que ele se iniciou com algumas curiosidades sobre Pat Patterson… Bom, ainda há muitas histórias, e há até mesmo um equivalente de Patterson lá no AAA (só que acreditem, com histórias ainda mais absurdas), mas isso ficará para a próxima edição. Até a próxima!

Veja também:  Wrestlemaníacos Ratings - NJPW Wrestling Dontaku - 03/05/2016

Escrito por Rodrigo Peret

Estudante de Jornalismo, redator e colunista do Wrestlemaníacos. E ídolo do Izac Luna.

9 Comentários

Deixar uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *