in , ,

Maníacos por Entrevista: Max Miller (BWF)

O Bicho Bruto é o quinto entrevistado do quadro

Entrevistamos mais um lutador da BWF, trata-se do ex-BWF Rei do Ringue e ex-campeão de duplas da BWF Max Miller, ele é o quinto entrevistado do quadro Maníacos por Entrevista, que objetiva trazer mais sobre a luta livre produzida no Brasil para você maníaco por wrestling. São entrevistas semanais com personalidades da luta livre nacional, o nosso pro-wrestling.

Treinado por Bob Jr., o lutador 25 anos, além do título de duplas e do BWF Rei do Ringue, conquistou duas vezes a Copa Anime Friends. Há um década na luta livre, Max Miller, em 2016, representou o Brasil no Peru, foi no show de estreia da Imperio Lucha Libre, que teve participações de estrelas como Hardy Boys, Alberto El Patron, Zack Sabre Jr., ele foi derrotado por Vicente Viloni no Torneio Sul-Americano.

Natural de São Paulo-SP, o Bicho Bruto, além de competir, agora ajuda na formação dos novatos, como fez com Fúria, Barrabás e Lobo Peruano, ele também realiza os treinos dos profissionais.

Confira a entrevista completa:

Wrestlemaníacos: Como você conheceu a luta livre? E quando surgiu a ideia de treinar para virar um lutador profissional?

Max Miller: Conheci a luta livre quando passava Gigantes do Ringue na TV Gazeta, mas comecei a acompanhar e treinar em 2008 com a vinda da WWE ao SBT, desde o primeiro dia soube que era isso que queria fazer pelo resto da minha vida.

WM: Você tem alguma experiência em outras artes marciais?

Max: Sim, Jiu Jitsu e Muay Thai.

WM: De que maneira ter esse conhecimento de outras lutas ajuda na luta livre?

Max: Isso ajudou a moldar meu estilo de luta hoje, gosto muito de utilizar de pancadas precisas e de variadas submissões.

WM: Como foi a experiência de representar o Brasil fora do país?

Veja também:  WWE estaria considerando um Queen of the Ring

Max: Foi único. A atmosfera do show, o clima do vestiário, o carinho dos fãs. Aquilo me fez ter mais certeza que quero fazer isso todos os dias da minha vida e dar meu melhor para assim garantir o melhor show para o público.

WM: Um combate marcante de sua carreira, aquele que mais lhe deu orgulho do que faz.

Max: Tenho dois, um contra Vicente Viloni na Imperio Lucha Libre por ter sido minha primeira experiência internacional e a fatal 4-Way contra Toko Infernal, Acce e Victor Boer no show da WSW por ter sido um combate incrível e muito bem recebido pelos fãs.

WM: Um adversário dos sonhos.

MM: São vários, mas os principais são Chris Hero [Kassius Ohno], Kenta [Hideo Itami], Kenny Omega e Katsuyori Shibata.

WM: Fale sobre o show em parceria com a WSW no ano passado. Foi o maior evento em que já lutou? O que você viu (se viu) de crescimento da BWF após o show?

Max: Foi um show incrível, foi um dos maiores eventos no qual eu participei e com certeza foi mais um marco para a BWF e a luta livre nacional. O crescimento é constante da BWF., já mandamos um atleta nosso (Cezar Bononi) para a WWE, já trabalhamos com empresas de renome internacional como NOAH e WSW e tivemos grandes nomes da luta livre mundial pisando em nosso ringue como Naomichi Marufuji, Super Crazy, Carlyto, Juventud Guerrera, Eddie Edwards, Taiji Ishimori, KENTA dentre muitos outros, nosso trabalho nunca cara, não existe linha de chegada, a evolução é constante.

WM: Já sofreu preconceito por gostar/praticar luta livre?

Max: Claro, no Brasil ainda se tem muito a idéia de ser “marmelada” e algumas pessoas não o consideram um atleta por isso, mas isso não me abala pois sei que com trabalho duro vamos mudar essa idéia e fazer o público leigo entender que isso é um show que pode ser colocado em qualquer lugar.

Veja também:  NJPW anuncia card final do Wrestle Kingdom 13

WM: Por que o fã brasileiro de luta livre pouco se interessa pela luta nacional?

Max: Acho que falta dar uma chance aos lutadores profissionais daqui, a BWF já provou diversas vezes ter um material humano de qualidade, temos esporadicamente os BWF In house mostrando o melhor que a luta livre nacional tem a oferecer. Em minha humilde opinião falta o fã sair da casa dele e ir assistir ao vivo ao show, garanto que não vai se arrepender.

WM: A BWF vem crescendo cada vez mais, temos Telecatch regularmente no YouTube, o canal está com quase 19 mil inscritos, eventos In House sendo realizados todo mês. Mas no que a BWF ainda precisa melhorar?

Max: O trabalho está sendo bem executado, além dos BWF In house realizamos outros shows em eventos geek, bairros e outras cidades do interior de São Paulo. O que precisa ser melhorado é a estrutura que infelizmente é necessário um investimento financeiro alto e isso só é possivel com os fãs indo aos nossos e dando o seu apoio a nós.

WM: Dos novos talentos que a BWF vem mostrando ultimamente, essa nova geração que vem surgindo na divisão de Rookies, quem você diria pra gente ficar de olho, que tem um grande futuro pela frente?

Max: Lobo Peruano, Fúria e Adam Black, vejo um grande futuro para eles.

WM: O que você tem a dizer sobre seu treinador e chefe Bob Junior?

Max: É uma grande pessoa, hoje se cheguei aonde estou foi graças as oportunidades que ele me deu até hoje. E se não fosse esse cara a luta livre no Brasil ainda estaria presa estagnada, vejo a correria e o esforço que ele tem para poder fechar shows e buscar alavancar a luta livre e a BWF no mais alto patamar, ele definitivamente respira e vive luta livre todos os dias.

Veja também:  Cobertura: RAW - 10/12/2018

WM: O que você tem a dizer para os jovens brasileiros que querem se tornar um wrestler profissional?

Max: Lute pelos sonhos, todos nós temos adversidades que a vida coloca em nossa frente, mas se isso é o que vocé quer de verdade corra atrás! Procure uma academia profissional e lute pelo o que você quer com todas as suas forças.

WM: Quando veremos Max Miller Campeão Brasileiro?

Max: Infelizmente na minha última oportunidade eu deveria ter saído campeão, eu estava com a luta ganha, se o Albert não tivesse invadido e me atacado eu seria campeão hoje, mas vou me superar e na próxima vez que eu tiver minha chance pelo título nada vai parar o bicho bruto!

WM: Deixe uma mensagem para os leitores pra encerrar.

Max: Obrigado a todos que acompanham meu trabalho e o da BWF, saiba que sou muito grato a vocês pelo apoio e carinho de vocês. Me siga no instagram no @maxmillerwrestler e @bwfbrazil para ver o bicho bruto mostrando que a luta livre nacional VIVE FORTE.

O Wrestlemaníacos agradece imensamente a Max Miller pelo seu tempo para nos responder.

A próxima entrevista, na próxima quarta-feira, será com o lutador da FILL El Garra, fiquem ligados!

> Confira a entrevista com Rapha Luque clicando aqui
> Confira a entrevista com Gabriel Nogueira clicando aqui
> Confira a entrevista com Matths Alves clicando aqui
> Confira a entrevista com Adam Black clicando aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cobertura: FILL Outubro ou Nada – 18/10/2018

Drew McIntyre fala sobre quais NXT Superstars estão prontos para o elenco principal da WWE