Max Miller fala sobre sua participação no show da Imperio Lucha Libre

Lutador fala com exclusividade ao Wrestlemaníacos sobre show do próximo dia 25

No próximo dia 25 de Março acontece na Arena Eduardo Dibós em Lima, no Peru o primeiro evento da Imperio Lucha Libre, que pretende investir na luta livre sulamericana mesclando representantes locais do esporte com estrelas mundialmente conhecidas do pro-wrestling, como os Hardy Boys, Alberto Del Rio, Zack Sabre Jr, entre outros. Entre os lutadores nós temos dois brasileiros: Zumbi e Max Miller.

Max Miller concedeu uma entrevista exclusiva ao Wrestlemaníacos onde falou sobre sua participação no evento, como conseguiu chegar lá, os investimentos no esporte no Brasil e sobre seus adversários no torneio “Sudamerica Resurge”, onde pode enfrentar Zack Sabre Jr. Confira a entrevista completa abaixo.

WM – Qual a sua visão sobre o investimento realizado pela Império, que vai realizar shows com a participação de lutadores reconhecidos mundialmente como Ricochet, Zack Sabre Jr, Carlito e outros? O que falta para termos algo deste porte no Brasil?

“Max Miller – A Imperio Lucha Libre é algo que tem como ideia disparar o Pro Wrestling na América do Sul, trazendo grandes nomes do negócio e mesclando com os grandes talentos que existem espalhados por toda América do Sul. Para se ter algo assim no Brasil hoje seria necessário não apenas um grande investimento, mas sim um planejamento em proporções maiores, o Brasil hoje é um país gigantesco e por mais que tenhamos fãs espalhados por todo o Brasil os custos de viagem para quem mora em outros estados é muito grande, enquanto no Peru as cidades e estados estão muito próximos um do outro no Brasil se tem um alto custo. Por exemplo: Você viajar do Espirito Santo para São Paulo, é algo que para ser feito seria necessário um investimento e retorno gigantesco.”

WM – Você é um dos dois Brasileiros presentes no torneio, ao lado de Zumbi. Como surgiu o convite para participar do evento?

Veja também:  Marty Scurll gostaria de enfrentar CM Punk

“Max Miller – O convite surgiu pela BWF, o projeto da Imperio Lucha Libre visava buscar os melhores lutadores profissionais de cada nacionalidade e hoje a BWF tem um nome já internacionalmente e por isso que nos procuraram, foram enviados alguns nomes para a Imperio onde eu acabei sendo selecionado para representar, não apenas a BWF, mas sim o Brasil todo e me julgo capacitado e preparado para fazer isso.”

WM – Qual a sua expectativa quanto à oportunidade de enfrentar atletas consolidados no mercado mundial da luta-livre?

“Max Miller – Vejo isso como uma experiência nova para mim, absorver conhecimento de caras que trabalham a nível mundial com certeza vai agregar muito para minha carreira e pessoalmente também, fiquei extremamente feliz ao saber que os 8 anos dedicados a luta livre aqui no Brasil estão me fazendo colher grandes frutos. Vejo isso como uma experiência nova para mim, absorver conhecimento de caras que trabalham a nível mundial com certeza vai agregar muito para minha carreira e pessoalmente também, fiquei extremamente feliz ao saber que 8 anos dedicados a luta livre aqui no Brasil está me fazendo colher grandes frutos.”

WM – A participação neste evento pode ser sinal de que veremos Max Miller em mais shows internacionais, como no México? Você possui planos neste sentido?

Veja também:  GLOW está sendo elogiada pela crítica americana

“Max Miller – Tudo pode acontecer, atualmente meu trabalho é com a BWF e tudo e qualquer oportunidade de lutar fora eu farei apenas com a autorização da BWF, hoje se tenho alguma exposição e conhecimento na luta livre foi graças a oportunidade que o Bob Jr. e a BWF me deram. A vontade de ir pra fora é sempre um objetivo e tenho certeza que quantas vezes eu for chamado para ir eu irei representar muito bem.”

WM – Você está num grupo formado por Zack Sabre Jr, Vicente Villoni e Ricky Marvin. Qual a sua análise sobre cada um de seus oponentes?

“Max Miller – Nosso grupo está sendo chamado de “grupo da morte” pois todos os envolvidos são extremamente conhecidos, me colocando em uma situação de “underdog”. Vicente Viloni tem anos de experiência no ramo e é extremamente popular na Argentina e na América Latina e um cara capaz de apesar de seu tamanho voar bastante, Zack Sabre Jr. dispensa apresentações, simplesmente um gênio em técnica e chaveteio o que torna uma das maiores ameaças do torneio e Ricky Marvin é um cara já consolidado mundialmente, já o vi competir pessoalmente no Torneio Latino Americano realizado pela NOAH em parceria com a BWF e sei que se eu o enfrentasse seria um páreo muito duro de se enfrentar.”

Todas as informações sobre o grande show da Imperio Lucha Libre que acontecerá no dia 25 de Março na arena Coliseo Dibós, em Lima, no Peru e também contará com um Meet & Greet com os lutadores, você confere nas redes sociais da Império Lucha Libre, como Facebook, Instagram e Snapchat (@ImperioLucha).

Veja também:  GLOW está sendo elogiada pela crítica americana

Deixe um Comentário

comentário(s)