in ,

Opinião do Momento: Gabi Castrovinci eliminada; não é o fim do mundo

http://i.imgur.com/X6o5cGj.png

Ontem tivemos a eliminação da brasileira Gabi Castrovinci, vamos falar um pouco sobre? Veja no “mai”s.

Vamos voltar para 2008 quando comecei a acompanhar pra valer o PW e decidi criar este blog aqui. Na época era impossível você ter as informações com tanta facilidade que se tem hoje, para assistir shows, ou você apelava para as streams de péssima qualidade, ou esperava todo sábado a tarde, chamava os amigos, e ia pra sala com uma vasilha de pipoca com suco que a mamãe preparava para assistir no SBT um compilado do que aconteceu durante a semana, desde RAW à SmackDown, e eram poucos minutos de show, mas que nos deixavam todo feliz, como se estivéssemos assistindo “Pulp Fiction”… os olhos brilhavam.

Na época, o máximo de WWE que conseguíamos na TV era isso, ou aquela reportagem que o Pânico na TV fez.

Foto: cbtvnews.com.br

Mas hoje em dia as coisas mudaram e muito. Quem imaginou que teríamos WWE sendo transmitido na TV brasileira, ao vivo, em português? Que teríamos mais uma companhia internacional de wrestling na TV nacional? QUEM IMAGINOU QUE TERÍAMOS UMA BRASILEIRA PARTICIPANDO DE UM PROGRAMA DA MAIOR COMPANHIA DE PRO-WRESTLING DO MUNDO?

Pois é amigos, tivemos isso. Um brasileira chamada Gabi Castrovinci, de Curitiba, modelo fitness participou do Tough Enough e claro, o apoio de nós brasileiros foi enorme. Hashtags, campanhas, fã-clubes e tudo mais que se possa imaginar.

Foto: Twitter

Já foi comprovado que nós brasileiros somos os mais odiados da internet e por quê? Porque às vezes causamos, seja pelo lado positivo, seja pelo lado negativo. No caso da curitibana, causamos e causamos muito, positivamente. Mesmo sem nem sabermos das qualidades da competidora (posso dizer sem nem saber quem é Gabi Castrovinci) nós apoiamos ao máximo, com o desejo de ter um nome brasileiro dentro da WWE e ganhando destaque e fazendo o PW crescer nessa terra.

Mas ontem, o sonho acabou. No quarto episódio do programa, Gabi foi eliminada. Gabi se mostrou perdida quando se tratava de promos, algo que é indispensável em um lutador completo de pro-wrestling. Mas também, se mostrou superior à outras competidoras e competidores na hora do “vamos ver” e foi bem nos treinos. Injustiça? Talvez.

Link permanente da imagem incorporadaFoto: Twitter

Gabi mostrou ter uma personalidade forte durante o programa, algo que normalmente vai agradar ou não agradar, não existe meio-termo em gostar dela… você vai odiá-la ou amá-la. E pelo jeito, a maioria decidiu odiá-la. Ela foi para a berlinda, e foi a menos votada, saindo com apenas 11% dos votos.

Logo após, a revolta dos brasileiros foi gigantescas. Os fãs criaram hashtags pedindo a volta da brasileira ao programa. O lado oposto fez piadas. Causamos na internet mais uma vez.

Sua eliminação não foi o fim do mundo, quantos competidores já não voltaram para a WWE após serem eliminados do reality show nas temporadas passadas?

E realmente não é o fim do mundo. Porque Gabi conseguiu algo que estamos buscamos por aqui: a visibilidade do pro-wrestling no nosso país. Cada ano que passa, isso mais cresce por aqui.

Mas Gabi Castrovinci era a pessoa ideal para vencer o reality show? Lógico que não. Nós a apoiamos por ser brasileira, isso é fato. Podemos ver durante essas 4 semanas da brasileira no reality show seus erros. Não é porque uma modelo fitness tem características de lutadora, que ela terá as habilidades de uma lutadora. Pro-Wrestling é uma das modalidades mais difíceis, não basta bater e saber apanhar, tem que saber atuar. E não saber do que se trata uma promo, é inadmissível para quem quer ser uma lutadora de pro-wrestling.

Vejo uma pessoa que viu uma oportunidade de crescer na carreira, e optou em se arriscar nesse mundo nada fácil que é o pro-wrestling. E que como muitos já esperavam, não deu certo. Pelo menos agora.

A passagem de Gabi pela WWE foi positiva, conseguimos provar que amamos o pro-wrestling e ela levou para o mundo nosso amor. Não fiquemos tristes ou revoltados, porque conseguimos levar nossa bandeira ao mundo da luta-livre.

12 Comentários

Deixar uma resposta
  1. Nossa, sério que tão fazendo esse escarcéu todo por ela? Tipo, o ponto positivo dela é, ao mesmo tempo, o ponto negativo: Ser brasileira. O Brasil foi muito, MUITO mal representado por essa mulher, ou melhor, menina. A menina entrou num programa de competição, com o maior jeito de Panicat, achando que tava num Big Brother Brasil, botando a maior banca e nunca tinha escutado falar de Wrestling. Por favor, né?! O pessoal reclama de pessoas como Nikki Bella, e Eva Marie mas tavam torcendo por uma… mulher… dessas?
    Ganhou uma segunda chance pra quê e por que? É habilidosa? Hahaha, acho que não, hein…
    Por mim ela não tinha nem entrado. Um peso morto total.

    • Não vejo dessa maneira e nem concordo. Eu concordo muito com o autor do texto. Acho que ela tem suas habilidades, pontos fracos e fortes, e me senti muito bem representada por ela lá fora.

  2. Excelente texto, sem dúvida! Mas, a Gabi tinha SIM potencial pra ser Diva. Nikki Bella ou Eva Marie, aposto que hoje em dia seriam o mesmo caso da Gabi, botariam nas costas da mulher a obrigação de ela entender sobre Wrestling.

    Tanto a Gabi, como a Sara Lee, como Zz ou Georgia estão ali porque sabem o que fazem, se eles não soubessem como se faz uma promo acha que estariam ali? A WWE sabe quem coloca em uma competição. E não importa que a Gabi comentou não saber realizar uma promo, ela sabe sim, pode ter certeza. A WWE escolheu ela não por ter o corpão, claro que também, mas por ser um tipo diferente das outras.

    Damos o exemplo da Nikki Bella, ótima Diva, no entanto, o público invejoso não admite isso. Eva Marie, boa, sim, boa, apenas isso, mas não tem o que falar sobre ela ser uma mal Diva ou não, uma coisa é acompanhar o que as câmeras mostra, até no Total Divas e tal, outra é falar que ela é Diva ruim, mas ela é incrível no ringue quando está em um certo combate com adversárias de alto nível. Se a Eva, Nikki Bella ou muitas outras que começaram igual a Gabi e hoje estão no topo, porque a Gabi não pode crescer e conseguer ser uma Diva? Falar que a Gabi não é boa, não entende sobre o esporte ou qualquer coisa é fácil, mas quero ver quem falar ter a mínima coragem de gravar um vídeo pro Tough Enough e, pessoas que falam que ela não tem potencial não tem nem capacidade pra ver a equipe da WWE olhar o vídeo e pensar em dar uma resenha sobre isso.

    A TNA ou ROH tá aí, tenho certeza que as duas ficaram interessadas na Gabi. Quando do nada esse pessoal que não entende sobre Wrestling ver a Gabi na Destination America, vão ver que quem tem talento não fica apenas na WWE, pois a WWE não é tudo. Eu realmente espero ver ela ergue em outra empresa.

    Como diz o título do artigo, Gabi Castrovinci eliminada, não com fim de carreira, pois a carreira dela ainda nem começou! Gabi Castrovinci eliminada; não é o fim do mundo

    • Excelente colocação Marcos. Lógico que a Gabi melhoraria ali dentro, por isso eu citei injustiça no texto. na parte de habilidade ela mostrou potencial. Só pecou na promo e não teve chance de trabalhar isso.

    • Awesome Kong lutou 5 anos no Japão um dos treinamentos mais duros do pro-wrestling, mesmo para mulheres.

      Lufisto, uma das únicas lutadoras de deathmatch de sua geração, lutou com Zandig, Necro Butcher e etc.

      Candice LeRae, faz lutas duríssimas quase sempre contra homens.

      Gabi Castrovinci, postou um vídeo no Youtube . . .

      A TNA tem KO’s como Jade (Mya yim) e Gail Kim, eu não acho que ela tenha interesse em uma modelo fitness, o mesmo pra ROH que nas raras oportunidades em que utiliza mulheres quase sempre tem uma experiência relevante na indústria, ou tenha saído do seu Dojo, o que eu duvido muito que ela se proponha a fazer.

    • Caramba, é realmente muito difícil gravar um vídeo de 1 minuto, o talento da Gabi é impressionante….
      Claro que ela sabe fazer uma promo, ela apenas não sabia o que era uma promo não é mesmo??? suuuper normal….

      Acorde cara.
      A Gabi não é uma wrestler, tem 29 anos e nem ao menos é treinada ou entende um pouco do negócio, por que você acha que a TNA ou a ROH se interessariam em contratar ela??? das duas uma: ou você não entende nada de wrestling ou é muito iludido…

  3. Na boa.

    Eu não me importei com ela menos do que eu me importei do com o resto dos participantes, ou seja nada. Se a vontade de ser um wrestler é tão grande o que não falta nos EUA são academias pra treinar pro-wrestling, se com quase 30 anos eles esperaram um reality-show pra ter uma chance mínima de começar nessa carreira, acho que a vontade nem é tão grande assim.

    Eu não acho que participar dessa “Fazenda” versão pro-wrestling seja “se arriscar nesse mundo nada fácil que é o pro-wrestling” , postar um vídeo no youtube não tem nada de muito arriscado não…arriscado é o que a Candice LeRae faz.

    Outro coisa, alguém me explica exatamente como uma modelo de fitness entrando na WWE faria o wrestling crescer aqui? O Brasil tem alguns dos melhores atletas do mundo em esportes que nos nunca ouvimos falar, e nós continuamos não nos importando.

    • Grande comentário concordo 100%, difícil encontrar alguém com um pensamento crítico por aqui, a maioria apenas a defende pelo fato da mulher ser brasileira e não procuram ver os fatos.

  4. Mesmo a WWE estando na Reality Era em que tudo é baseado em coisas q acontecem mesmo,ainda acho q o Tough Enough seja kayfabe e que a WWE já tem os vencedores,sei la teoria da conspiraçao

  5. Ela demonstrou ter seu talento, mais não foi a melhor, simplesmente isso.

    Mas estou realmente satisfeito com a participação dela no TE, poxa isso devia ser histórico, quantas vezes tivemos um brasileiro em uma grande companhia de pro wrestler. Ela não ganhou,mas participou, já é um grande passo pro brasil no pw.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jim Duggan fala sobre a Global Force Wrestling

Adam Cole vs. Shinsuke Nakamura dia 21 de agosto