Pra Ser Sincero #20 – Ressaca

banner pra ser sincero

Olá, eu sou Gabriel Goto e este é mais um Pra Ser Sincero! Na gloriosa vigésima edição e logo numa época tão boa para se escrever algo sobre a WWE, um começo de semana sensacional e o melhor: Amanhã ainda tem mais! Porém, venho por meio deste artigo falar o que eu achei sobre o Battleground e os primeiros shows das brands após o Draft, bora?

Começando, claro, pelo PPV que ocorreu no domingo.

Pessoalmente, eu achei um excelente PPV, com muitos pontos positivos. Começando com o Pre-show, que diferente do usual eu assisti e realmente gostei do combate entre Breezango e Usos e o melhor: Breeze finalizou o combate!

O Show em si começa com a Women’s Division Tag Team Match entre a até então campeã Charlotte e sua protegida Dana Brooke contra Sasha Banks e… Bayley! Sim, nós sabíamos que seria ela, mas quem se importa!? Ela recebeu um bom pop e o combate em si foi bem divertido, esperando ansiosamente pelo debut em definitivo de nossa querida Bayley.

O Battleground continuou com uma sólida Six-Man Tag Team Match entre a New Day e a Wyatt Family, estes que saíram com a vitória, mas com qual finalidade? Não sei, considero o combate em si como um ponto positivo, mas que a storyline começou boa e terminou de forma bem tanto faz, jogada só pra complementar o card.

Seguindo pela US Championship Match entre Rusev e Ryder que eu realmente gostei, alguns momentos (quando o Ryder aplicou o Missile Dropkick do lado de fora, quando aplicou o Rough Ryder e quase escapou do Accolade) achei que o Ryder fosse vencer, mas é claro que isso não aconteceu, o que não é de todo ruim, o combate foi muito bom, deixou o Ryder forte e o Rusev dominante como sempre.

Owens looks to end this conflict once and for all.

E aí vamos para o combate da noite e forte candidato para combate do ano, Sami Zayn contra Kevin Owens. Simplesmente, um puta combate. Com uma qualidade técnica incomparável e um storytelling sensacional, uma rivalidade que nunca estará completamente morta e será incrível de ver sempre que possível (embora acho que tá bom uma pausa agora, né) o motto deste combate pode ser o mesmo que usaram para Zayn e Nakamura: Fight Forever. Sami Zayn protagonizou dois dos melhores combates do ano até aqui, se não forem os dois melhores dentro da WWE e NXT. Uma qualidade monstruosa e que com o início da Cruiserweight Division no Raw ele possa ser o principal nome ao lado de Neville.

O combate que veio a seguir foi entre Natalya e Becky Lynch, que foi um bom combate, mas que teve a infelicidade de ser logo após um combate maravilhoso supracitado. Nada de surpreendente, mas um combate sólido, achei o último combate delas no Smackdown desta terça um tanto melhor.

A Intercontinental Championship Match entre Miz e Darren Young certamente foi o ponto fraquíssimo do PPV, não entendi muito o porque dessa construção e nada muito bom saiu de lá. Após este fiasco, veio a segunda Six-Man Tag Team Match do card que foi entre Club e Enzo, Cass e John Cena. Um combate muito divertido, dinâmico e com um resultado já esperado, já que era para complementar a feud de uma forma que ela não ficasse saturada.

Veja também:  Na Teia do Aranha #71 - Busquem Conhecimento

Por fim, chegamos ao main event da noite: A Shield Triple Threat Match pelo WWE Championship e eu já havia cravado isso antes de acontecer, que o título ficaria com o Ambrose e o Smackdown e a Stephanie brava iria criar um novo título mundial e dá-lo para o Seth Rollins, aparentemente havia surgido rumores de que a WWE não criaria um novo cinturão, mas criou ou pelo menos disse que irá criar já que foi apenas divulgado os nomes e os participantes.

Falando do combate principal do Battleground, foi muito bom, assim como Sami e Owens, teve um storytelling fantástico por tudo que Rollins, Ambrose e Reigns passaram nesta década, teve spots muito interessantes e foi a decisão mais acertada manter o título com o Dean.

Passando agora para o Raw, que aconteceu nesta última segunda.

Finn Bálor doesn't show any nerves before his main event showdown against Roman Reigns.

O show começa com a Stephanie e o Mick Foley no ringue e todos os wrestlers no stage, um novo stage, uma nova intro com uma nova theme e um novo logo (assim como aconteceu com o Smackdown). Falaram sobre os acontecimentos do último PPV, Steph culpou o Roman pela derrota do Raw e por isso Mick anunciou que o Raw teria um novo título “universal”. Sendo bem sincero, eu não acho que o nome em si do título seja ruim, afinal, por anos se referem ao público como WWE Universe, por isso, acho que ter o Universal Championship não é de todo ruim.

Enfim, anunciaram duas Fatal 4-ways matches (Cesaro vs Owens vs Rusev vs Balor e Chris Jericho vs Sami Zayn vs Sheamus vs Roman) em que os dois vencedores se enfrentariam no main event do próprio Raw e o vencedor deste último combate enfrentará Seth Rollins pelo novo título no Summerslam.

Finn Balor e Roman Reigns venceram os seus respectivos combates e o ex-NXT Champion ganhou de forma limpa no evento principal, o que deixou muitas pessoas surpresas e até indignadas, porque como pode o cara em sua primeira noite ganhar de um ex-WWE Champion? Overpush, eles disseram e eu direi aqui o porquê de não ser um overpush e muito menos algo inesperado, confira:

  1. Finn Balor foi o número 5 no Draft, Roman foi o sexto. Logo, mostra que o Raw já o preferiu antes, pois sabia de seu potencial.
  2. Triple H já havia dito há muito tempo que não subiria o Finn se não fosse para ter algo grande por ele esperando, em outras palavras, ele não subiria se fosse pra ficar no mid-card.
  3. Vocês já viram Roman Reigns contra Seth Rollins, é bom mudar, né?
  4. O NXT não fica num mundo paralelo do Raw e do Smackdown, por muitas vezes vocês disseram que o NXT é melhor que ambos os shows principais, então por que ficar surpreso com a vitória de um dos maiores NXT Champions?
  5. Sim, o Balor não é fenomenal no ringue, mas ele é mais que decente e possuí uma gimmick fora de série e muito boa, se você não a acha boa, você tem certos problemas. Ele consegue chamar o público para si e faz com perfeição o papel que ele tem que fazer, o de face. Coisa que o Roman obviamente não faz.
  6. Com esta derrocada de Roman, é essencial para ele e para a WWE pensar no que fazer para ele melhorar, mudança de gimmick no topo da lista para ele.
Veja também:  Na Teia do Aranha #71 - Busquem Conhecimento

Com esses pequenos seis itens, acredito que seja mais o que suficiente para creditar a vitória de Balor no Raw e um excelente motivo para ficar de olho na primeira WWE Universal Championship Match, Seth Rollins contra Finn Balor. O primeiro e o último (a perder) NXT champions, homens de Triple H que está um tanto sumido, não é mesmo? Não ficaria nem um pouco surpreso com uma vitória do Finn Balor com um possível Balor Club sendo formado e principalmente com a presença do padrinho de ambos os lutadores, o Paul Levesque.

Ainda no Raw, tivemos uma excelente Women’s Championship Match entre Charlotte e Sasha Banks e muito merecido a vitória de Sasha sendo a segunda Women’s Champion desde a criação deste novo título, interessado em ver como será a rematch de Charlotte no Summerslam, o que planejam para essa rivalidade e se não exitarão em subir logo a Bayley em definitivo.

Considerações finais do Raw: Foi um excelente Raw, eu não vi as 3 horas passarem e eu realmente me diverti, até do Braun Strowman sozinho eu gostei, com essa mudança de corte no cabelo e nova theme que eu achei bem maneira. Resta saber se conseguirão manter o nível conforme o tempo for passando, pois foi um show pós-PPV e tivemos coisas como um novo título sendo anunciado, uma nova campeã que todos esperavam e uma cara nova indo direto para o Main Event, obviamente não manterão o mesmo nível nas próximas semanas, mas o que importa é que a mudança chegou e pau no seu cu Vince Russo.

Passando para terça-feira, Smackdown!

O Smackdown começa assim como começou o Raw, com Bryan e Shane anunciando uma #1 Contender Match pelo WWE Championship de Dean Ambrose, uma Six Pack Challenge Match entre John Cena, Dolph Ziggler, Bray Wyatt, AJ Styles e Baron Corbin com um último lutador sendo decidido após uma Battle Royal. Uma consideração sobre esse segmento: O Bray ficou muito foda com aquela blusa.

A Battle Royal o Final 3 foi Kalisto, Kane e Apollo Crews, sendo este o último o vencedor e tendo a oportunidade de ser o #1 Contender. Achei sensacional, eu adoro Battle Royals e é sempre bom quando caras novas acabam vencendo-na, pois é basicamente isso que deveria ser, caras novas surpreendendo. Gostei muito da adição do Apollo no main event e me deixa esperançoso para que ele continue a ser usado com essa importância.

Veja também:  Na Teia do Aranha #71 - Busquem Conhecimento

Tivemos Becky contra Natalya, que eu achei um bom combate (melhor que o do Battleground como eu já disse) e gostei muito do segmento que se seguiu, com a Becky dando entrevista para a Renee Young (essas  entrevistas após o combate ficaram sensacionais) e a Alexa Bliss interferindo e mostrando que é um monstro com o microfone em mãos, ela é simplesmente demais! Evoluiu muito desde o seu debut e é um nome enorme para crescer ainda mais. Foi seguida por Naomi e Carmella até que fossem todas interrompidas por Eva Marie.

Sinceramente, eu gostei da entrada dela e achei bem interessante a forma como ela nem precisou dizer nada para receber todo o heat. Não buscarei julgá-la, vamos simplesmente sentar e esperar o que será feito (de preferência, um novo título para que elas disputem).

Senti falta da American Alpha, mas eles estarão semana que vem, o que aquece um pouco o meu coração e falando neles, eis que aparece um dos pilares da maior tag team do mundo (pegou a referência?) Shelton Benjamin! Simplesmente com um “Coming Soon” ao final de sua promo e olha… Ele tem 41 anos, mas ainda dá um caldo… Uma incrível adição para a WWE num geral.

Tivemos o Slater num segmento realmente muito bom #PushSlater

E por fim, o main event não irei me prolongar muito, mas que surpresa… De todas as surpresas essa foi a que eu menos esperava: Dolph Ziggler contra Dean Ambrose pelo WWE Championship! Eu estava torcendo para o Bray Wyatt vencer, mas como um todo neste combate eu estava “quem vencer está bom” e Ziggler ressurgiu das cinzas para levar o combate finalizando o AJ Styles que é um nome gigantesco e importantíssimo para o Smackdown.

Acredito que seja uma vitória preciosa para o Ziggler, por mais que ele não vença no PPV, será um grande combate e podendo ter um build-up muito interessante para essa feud. Não vejo nada contra uma face vs face match, mas sinto que alguém tem que turnar nesta rivalidade, não importando quem for. Só tenho a dizer que foi muito merecido e se você reclamar da escolha do Ziggler em vencer o combate, simplesmente veja este vídeo a seguir e repense o quanto este cara merece estar aí.

Então, encerro-me por aqui com mais este Pra Ser Sincero que ficou bem mais longo que o usual, mas com tanta coisa que aconteceu, nada mais justo. Entre as duas brands, o show que mais me agradou foi o Smackdown e o de vocês? Não deixem de comentar, o que acharam da vitória do Balor e do Ziggler, o que esperar do Summerslam e tudo que vocês quiserem, até a próxima!

Escrito por Gabriel Goto

18 anos, estudante de Letras, amante de Pro-Wrestling e outros bons meios de se contar uma história, escrevo o Pra Ser Sincero e o Wrestling Tales.

Deixe um Comentário

comentário(s)