in

Terceira Corda #1 – The Fiend

Como Bray Wyatt reinventa o terror na WWE? Como que The Fiend se torna um dos piores pesadelos dos wrestlers e da audiência por um todo?

Bem-vindos à primeira edição do Terceira Corda, um quadro de análises, opiniões e com um espaço para vocês maníacos por wrestling debaterem sobre o tema e mandarem sugestões do que vocês quererem ver nas próximas edições. Sem mais delongas, vamos analisar como que Bray Wyatt utiliza de seu terror psicológico pra construir uma gimmick genial e aterrorizante

Raw 22 de abril de 2019, um segmento chamado “Firefly Fun House” – traduzindo para o português, algo como “A casa divertida dos vagalumes” – surgia como um quadro em que Wyatt destinava sua narrativa ao público infantil – vide reações infantis como som de fundo – porém com repentinas mudanças de humor que o levava a algo aterrorizante. Em seu primeiro episódio Bray afirma ter sido uma má pessoa em seu passado e garante não ser novamente um perdedor – se referindo a sua antiga gimmick “Wyatt Family” – e com uma motosserra decepa a cabeça do Bray do passado, representado em papelão, esse corte na cabeça fará muito sentido lá na frente em sua estreia, então guardem bem esse momento. Nas próximas semanas acompanhamos Wyatt em seus segmentos geniais, porém ele sempre ressaltava que guardara um segredo, isso deixou todos nós a pensar em qual seria a próxima investida da WWE com um wrestler que ninguém depositava ficha alguma, que teve seus antigos companheiros separados, como Paul Walker e Vin Diesel em “Velozes e Furiosos 7”. Até que em 13 de Maio, no quarto episódio conhecemos o aterrorizante, demoníaco, razão de vários pesadelos, porém a melhor criação da WWE em meses – ou até anos – The Fiend

Veja também:  Elias retirado do King Of The Ring

Com uma introdução espetacular – vale ressaltar em todo o artigo o quão perfeita é a atuação de Bray Wyatt que hoje é de longe, o wrestler com melhor atuação no Main Roster, algo fora da caixa nos dias de hoje – e dessa vez não foi diferente, ele chama a todos para acompanhar a sua grande revelação, e lá está, com uma máscara diabólica, de causar arrepios – desenvolvida por Tom Savini, um dos maiores nomes no ramo de maquiagem, com trabalhos em diversos blockbusters de terror – o que foi a cereja do bolo para deixar o personagem ainda mais fabuloso. Agora a dúvida que surgira era a seguinte: Quando Bray Wyatt irá inaugurar sua nova persona ao vivo?

15 de julho, após uma vitória de Finn Bálor sobre Samoa Joe, a música de Bálor é interrompida e as luzes apagadas gradativamente, após barulhos no ringue alguns holofotes apontam ao centro do quadrilátero e ao ascender das luzes temos Finn totalmente retido nas mãos de The Fiend, uma rivalidade construída pra ter sua luta agendada para o SummerSlam, porém até chegar o dia mais aguardado do verão (americano) outras pessoas foram vítimas de Wyatt, particularmente Hall of Famers e mais particular ainda foi a forma na qual ele atacou essas lendas – Mick Foley, Kurt Angle e Jerry “The King” Lawler respectivamente – ele usou do lendário Mandible Claw, eternizado pelo próprio Foley e com esse golpe ele concretizou a vitória contra Bálor no SummerSlam, detalhe pra entrada arrepiante na qual The Fiend levava em suas mãos uma lanterna no formato da cabeça do antigo Bray Wyatt, lembra que disse no começo que ele cortara fora com uma motosserra a cabeça de papelão? Pois é, aí está, para sacramentar a nova fase do homem que tem colocado toda a WWE em atenção, seja os lutadores com o medo de ser refém de um ataque maquiavélico ou seja os oficiais que estão de olho nas vendas dos produtos baseado na nova sensação do momento, The Fiend está subindo como um foguete nas vendas e segundo projeções, deve alcançar o primeiro lugar de receitas em produtos muito em breve.

Veja também:  Maníacos por Apostas - Clash of Champions

Agora chegamos na parte na qual eu deixo algumas perguntas pra vocês leitores debaterem e refletirem, Wyatt redefiniu o terror na WWE? The Fiend terá sucesso suficiente para levar um World Title? Quem vocês querem ver em uma nova feud com Bray?

Chegamos ao fim da primeira edição do Terceira Corda, deixem na caixa de comentários suas opiniões, críticas, sugestões de pauta, o feedback de vocês será fundamental para a continuidade do quadro, meu nome é Junior Freitas e vejo vocês na próxima sexta-feira… Ah, antes que eu me esqueça… Let Him In…

2 Comentários

Deixar uma resposta
  1. Bray Wyatt e The Fiend são, sem sombra de dúvida, a melhor coisa na WWE em muito tempo. Porém, é preciso cautela pra não estragarem a personagem. Ex:

    1) Até agora, ele apenas tem atacado pessoas aleatoriamente, o que se analisarmos friamente, não é absolutamente nada de diferente do que Bray vinha fazendo desde o seu debut.

    2) Usar o Mandible Claw pra atacar Mick Foley é até poético. Usar esse golpe como finisher definitivo é frustrante. Até porque é um golpezinho bem mixuruca e sem graça

    Pra mim, poderiam ter usado essa gimmick de apresentador infantil, arrependido das maldades que fez no passado pra construir algo relacionado a dupla personalidade. Imaginem se logo depois do Fiend ter atacado Balor, se no dia seguinte, no Smackdown, o mesmo Balor estivesse em desvantagem contra alguns heels e Wyatt aparecesse como o apresentador pra fazer o save e quando estendesse a mão para Balor, este recusasse, deixando Wyatt sem entender nada. Poderiam explorar essa dinâmica, a la Gollum/Smeagol, com o Mr. Fun House e The Fiend sendo duas personalidades conflitantes, lutando entre si para ter o controle do corpo. Wyatt poderia enfrentar faces como The Fiend e enfrentar heels como Mr Fun House. O leque de possibilidades seria muito maior do que simplesmente limitá-lo a ser mais um monster heel que, eventualmente vai acabar perdendo uma luta e se tornar mais um no roster

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SmarkDown! – A nova “Golden Age” da indústria do Wrestling?

Opinião do Momento: Razões para acreditar ou não num retorno de CM Punk aos ringues