The Curtain Call #2: Road to WrestleMania

Mania ta batendo na porta, vamos falar sobre o caminho até ela?

E ai meus queridos, tudo bom com vocês? Eu sou o Hércules Barbosa e essa é a segunda edição do The Curtain Call, a sua coluna quinzenal sobre tudo que envolva Pro Wrestling. Nessa segunda edição a gente vai falar sobre o maior evento de Pro Wrestling do mundo (muito desse título se deve à duração do show), a WrestleMania, mais especificamente, sobre o caminho que leva até ela, então peguem um copo d’água, um pão com queijo e vamos falar sobre a Road to WrestleMania.

A Road to WrestleMania, que é o caminho que é percorrido até o ”The Grand Stage of Them All” começa em Janeiro, mais especificamente no Royal Rumble, que é onde se decide quem vai pro Main Event da Mania. A partir do final do evento mensal de janeiro todas as atenções já se focam para o grande evento de Abril, é dado inicio nas rivalidades, antigos superstars reaparecem, novos debutam, na minha opinião pelo menos é a melhor época da WWE, ou deveria ser.

Veja também:  WWE Payback 2017: Card atualizado

Nos últimos anos o que se parece bem nítido pelo menos para a minha pessoa é que a WWE perdeu seu dom de fazer storylines empolgantes, e a Mania sofre mais com isso do que todo resto, pois vejam bem, é o principal evento da empresa, é ali que se espera as melhores lutas, as melhores rivalidades, grandes lutadores e momentos inesquecíveis, mas ultimamente, o que se vê é apenas um amontoado de lutas em um show que cada ano que passa se torna mais longo e menos interessante de se ver.

Na Mania do ano passado por exemplo, tivemos Shane McMahon enfrentando The Undertaker em uma Hell In a Cell match no evento, foi um luta legal de ser, o Shane deu aquele salto que ficou marcado, mas afinal de contas, por que eles estavam se enfrentando mesmo? Não teve um motivo aparente, Vince simplesmente falou que o filho iria enfrentar o Deadman e isso aconteceu, não teve nem um motivo pelo qual a luta ser dentro da estrutura demoníaca que é conhecida como o quintal do Taker, não existiu um motivo aparente, e isso não é um caso isolado, vem acontecendo com certa frequência infelizmente, as rivalidades não são tão bem montadas e isso influência muito no animo que os fãs ficam para a luta, afinal, se a história criada não te anima, seu interesse pela luta cai consideravelmente, mas como mudar isso?

Veja também:  Cobertura: WWE Monday Night RAW - 24/04/2017

Está claro que o que falta é criatividade, ela simplesmente se extinguiu, óbvio que as vezes a empresa de Stamford e seus funcionários ainda tem um lampejo e criam coisas boas como foi AJ vs Cena e agora Wyatt vs Orton, mas no primeiro citado foi mais pelo talento de ambos do que por algo que a empresa fez. Creio que a solução desse problema esteja em como a empresa cria seus personagens, a liberdade que ela da para seus lutadores, e a falta de reciclagem em suas histórias, afinal, tudo parece muito genérico e algo de já foi feito no passado.

Mas e vocês, enxergam uma solução? Se sim, quais são as soluções que vocês dariam ao problema? Ou acham que está bom assim? Bem, agradeço mais uma vez até aqui e até a próxima edição do The Curtain Call.

Fala galera, meu nome é Hércules Barbosa e no tutorial de hoje a gente vai aprender a... Não pera. Estudante de Direito e membro do Wrestlemaníacos, o melhor portal de noticias sobre Pro Wrestling do Brasil. Fã dessa maravilhosa arte há quase 10 anos e meu lutador favorito é o Terra Ryzing.

''Your secrets keep you sick, your lies keep you alive''

Deixe um Comentário

comentário(s)