Wrestling Tales #2 – Seth Rollins (parte 2)

tales

Olá, eu sou Gabriel Goto e esta é a segunda edição do Wrestling Tales que contará o desfecho da estória de Seth Rollins antes de filiar-se a Shield (a primeira parte você poderá conferir clicando aqui).

O Pra Ser Sincero volta na semana que vem.

(Continuação…)

Entraram facilmente pela mansão, já faziam isso há tanto tempo que tornaram-se furtivos como o vento. Não precisaram vasculhar a casa em busca do cofre, pois já haviam estudado aquele mapa por centenas de vezes e sabiam onde poderiam encontrar o cofre tanto quanto qualquer outra coisa que assim desejassem naquela casa.

O cofre diferente do que acreditavam anteriormente não estava no quarto principal do casal, tão pouco escondido atrás de algum quadro na sala de estar. Estava no porão, lugar onde os mais crentes em assombrações recusariam-se a entrar. Por sorte ladrões já se sentem como fantasmas o suficiente para não temer esse tipo de fantasia.

Desceram até o porão e lá estava ele, o gigantesco cofre da família Levesque. Seth foi rapidamente até ele e o sentiu com as suas mãos, agora ele teria um enorme trabalho.

Muitos arrombadores de cofres usam de força bruta, mas a forma mais eficaz seria lógico descobrindo a sua senha, mas isso também seria a forma mais difícil, quase que impossível. Todavia, seria um desafio que Seth gostaria de cumprir.

Ele já descobrira centenas de senhas em seu passado, mas nunca de um cofre como esse, nunca de um cofre de segurança máxima. Seth sempre gostou de provar para os outros o quão incrível ele era e estava pronto para desmitificar o tal cofre impossível e auto-mitificar-se.

Seth então sentou-se em frente ao cofre, como dois bons amigos e colocou o seu Estetoscópio para ouvir o funcionamento das travas do cofre, girava a senha de um lado para o outro, mas só o que conseguia ouvir era o vazio. Vazio que por muitas vezes sempre acabava lhe preenchendo.

tec… tec… Era tudo que Seth conseguia ouvir vindo de dentro do cofre. Seth buscava o coração do cofre, mas até o momento nada fora encontrado.

Henry vigiava as costas do amigo, estava no térreo e olhava para fora com a apreensão de que não poderiam terminar à tempo, que pudessem falhar. Mas todo o pessimismo dava novamente o lugar para a confiança que ele tinha em seu parceiro.

30 minutos se passaram por seus olhos, mas a confiança depositada era ainda maior.

tec… tec… Não havia mudanças na melodia feita pelo cofre, então Seth considerou-se falho e decidiu mudar a sua estratégia.

Tirou o estetoscópio e fechou os olhos. Começou a meditar. Henry descera para ver o andamento da missão, mas fora surpreendido e quase enlouquecera, soltara berros para devolver Seth a si. Tarde demais, pois ele já havia entrado em um profundo transe.

Henry hesitou, mas sabia o que aquilo significava e respeitou a escolha do amigo, estava com medo, mas acreditava que com isso ele pudesse obter o sucesso em sua missão. Voltou para a sala de estar, pois assim poderia ficar menos apreensivo.

Mais 30 minutos se passaram para Seth enfim reabrir os seus olhos, Henry que havia ido até a cozinha e voltava com uma long-neck respirava aliviado ao ver o amigo recuperar a posição de batalha.

Seth agora estava mais focado, sentindo-se mais disposto para concluir o seu objetivo. Era uma batalha contra si mesmo, provar para todos que ele era de fato o melhor.

tec… trec… O som mudara e Seth sabia o que isso significava. Estava no caminho certo.

trec… O som se repetira e Seth estava há um passo de se tornar uma lenda. O cara que decifrara o cofre que muitos tacharam como impossível.

tec… trec… ao emitir esse som a porta abriu-se para Seth que pode enxergar a beleza de toda a sua glória, a enorme quantidade de diamantes outras incontáveis pedras preciosas ali presentes.

Recolheram tudo que havia dentro do cofre e colocaram na bolsa que Henry carregava, subiram a escada que ligava o escuro porão com a casa. Até que Seth percebeu que havia sido enganado.

Henry que estava a sua frente virara-se e sem hesitar o empurrara. Seth caiu de costas e só parou até chegar ao degrau zero.

Seth apenas enxergou o seu mundo se escurecer.

— Eu poderia estar muito bravo em ter sido roubado — disse um homem de meia idade e cabelos raspados, mas com um porte forte enquanto Seth recuperava a consciência — eu poderia te entregar à polícia ou coisa pior — completou.

— Henry escapou? — a única coisa em que Seth conseguia pensar.

— O seu parceiro? Sim e pelo que pude ver, você foi usado da pior forma possível — respondeu o senhor.

— Porém, você tem um potencial único e acredito que possa ser aproveitado — o senhor fez uma pausa — garoto, você já ouviu falar sobre a iniciativa SHIELD?

— Não — Seth respondeu secamente.

— Como seu amigo levou os meus diamantes, acredito que seja justo eu ter algo em troca e você está a partir de agora em meus planos — disse o senhor.

— E se eu não quiser? — perguntou Seth.

— Aí você escolhe entre morrer ou apodrecer na cadeia — retrucou acidamente o homem.

— Tá, eu aceito, mas o que eu precisarei fazer? — Seth no atual momento era um poço de dúvidas.

— Você saberá com o tempo — mas o senhor lhe tratava com indiferença.

— E como eu poderei te chamar?

— Me chame de Hunter — Hunter então se levanta e vai embora deixando Seth sozinho em seu quarto.

FIM

Este é o fim da segunda edição do Wrestling Tales e o fim de minha primeira história aqui no Wrestlemaniacos, espero que tenham gostado e não deixem de comentarem expressando suas opiniões, sugestões, críticas ou qualquer coisa em que possa me ajudar a continuar melhorando cada dia mais. Se você chegou até aqui eu só tenho a lhe agradecer.

Escrito por Gabriel Goto

18 anos, estudante de Letras, amante de Pro-Wrestling e outros bons meios de se contar uma história, escrevo o Pra Ser Sincero e o Wrestling Tales.

4 Comentários

Deixar uma resposta
    • Cara seria bom se você continuasse com o quadro gostei bastante e estou curioso para saber como se formaria a SHIELD com os outros participantes .

      Obs: Mais uma vez parabéns!!

      • Muito obrigado! É algo que eu me divirto muito fazendo e se mais pessoas acabam gostando do resultado (como você) isso torna-se muito gratificante para mim. A ideia agora é continuar o Prelude of Shield com as backstories do Dean e também do Roman, não sei ao certo quando, mas espero que até o fim de abril já saia algo novo. Mais uma vez obrigado 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *