Wrestling Tales #3 – Dean Ambrose (Parte 1)

Wrestling Tales #1 – Seth Rollins (Parte 1)

Este é o quadro que quase nunca aparece aqui, mas olha quem apareceu! Eu sou o Gabriel Goto quem escreve quase toda semana no Pra Ser Sincero e este é o Wrestling Tales, um “projeto paralelo” que se você ainda não conhece confira as duas primeiras edições clicando aqui:

Wrestling Tales #1 – Seth Rollins (Parte 1)

Wrestling Tales #2 – Seth Rollins (Parte 2)

E se nas primeiras edições eu contei uma breve história do Ex-WWE World Heavyweight Champion, Seth Rollins, na terceira edição eu começo a história de minha concepção sobre o ex-Intercontinental Champion, Dean Ambrose!

The Prelude of Shield (part two)

Todos nascem com medo. O choro em seus tempos primordiais simboliza a entrada no desconhecido, a incerteza se aquilo não será uma jogada arriscada. O medo impede que façamos coisas grandiosas, agora imagine isso enquanto se é indefeso, enquanto se é frágil.

Há aqueles que são frágeis para o resto da vida, outros que fingem não ser, mas que sabemos que no fundo são tão vulneráveis quanto um dia foram. Porém do medo se constrói a força e da força você consegue reerguer todo um império caído.

Infância conturbada é o ponto de inicial de uma vida a beira da loucura. Dean teve a sua vida afogada. Debatia-se dentro de um lago, mas quanto mais o desespero tomava controle de sua alma, mais ele afundava num poço sem fim. Homens estão fadados ao sofrimento.

Dean cresceu vendo o seu pai abusando de sua mãe de todas as formas possíveis, via as lágrimas correrem os seus olhos e o sentimento de impotência dentro de suas veias. Sentia raiva tanto quanto sentia medo, todo dia era uma tortura diferente.

Um dia, Dean se cansou de sofrer calado e tentou ajudar a sua mãe. Foi com 10 anos a primeira grande surra na vida dele. Seu pai era um alcoólatra e voltava todas as noites para a casa quebrando tudo que ele via pela frente, mas até aquele momento nunca havia encostado um único dedo em seu filho, pois era impedido por sua esposa. Que pagava todo o pato.

 No dia seguinte ao ataque, foi para a escola com o olho esquerdo roxo e perguntaram o motivo, mas o menino que sempre muito quieto, sempre muito assustado e tímido permaneceu em silêncio. Suspeitaram do pai. Suspeita que desmascarou o homem que batia tanto na esposa quanto no filho e pego em flagrante naquele mesmo dia foi preso, mas a mãe de Ambrose não teve a mesma sorte. Havia falecido após o último e mais brutal ataque de seu pai.

Seu rosto irreconhecível e fez com que a porta da loucura dentro de seu filho se abrisse para nunca mais ser fechada. Ele foi levado para um orfanato, mas ele jamais encontraria o seu lugar neste mundo. Estava deslocado.

Sua agressividade começou a ser posta em prática no orfanato, onde batia nas outras crianças sem motivos aparentes, simplesmente pela sua vontade. Foram dois anos assim antes que ele fosse internado num manicômio, com apenas 12 anos.

Ficou 1 ano nesse manicômio, sem muito a acrescentar na história: Ele era dopado, ficava quieto e quando o efeito da droga passava ele tinha surtos antes de ser novamente paralisado pelo remédio dado pelos médicos e enfermeiros do lugar. Após os 12 meses internado Ambrose fez um teste e foi liberado, voltou a viver em um orfanato e as pessoas que cuidavam dele conseguiram mantê-lo seguro por muito tempo o controlando pelo remédio, mas apesar disso ter durado por 24 meses, ele explodiu.

Estava completamente insano e com 15 anos Dean Ambrose matou a sua primeira pessoa. Não foi por intenção, pois matou aquele que foi o mais próximo de um pai que ele teve e talvez relembrar dessa memória fez com que ele o matasse.

Dean fugiu e passou a morar nas ruas, mas isso é história para uma outra ocasião.

Encerro-me por aqui a terceira edição do Wrestling Tales com a primeira parte da história do ex-Intercontinental Champion Dean Ambrose, não deixe de comentar expressando sua opinião, crítica e o que mais tiver, algum elogio também sempre bem vindo. A segunda parte será postada na semana seguinte, pois dividindo assim acredito que a leitura seja ao todo mais agradável e menos cansativa.

Escrito por Gabriel Goto

18 anos, estudante de Letras, amante de Pro-Wrestling e outros bons meios de se contar uma história, escrevo o Pra Ser Sincero e o Wrestling Tales.

Deixe um Comentário

comentário(s)