WWE Conclusions #4: E os substitutos?

conclusions2

Olá, pessoal! Saudades? Pois é, voltei! Finalmente estou de volta a fazer esse texto que tanto gosto. Antes de mais nada, já peço para que comentem, discutem, compartilhem vossas opiniões sobre o texto ou sobre o assunto que será abordado, é importante para nós (escritores) que tenhamos o feedback de nossos leitores, pra saber como tem sido o andamento dos nossos textos, e pra tentar melhorar em qualidade a cada texto apresentado, e também, na base da discussão, nos ajudar a aprender mais sobre o conteúdo, afinal também estamos aqui para aprender.

Hoje tratarei de um assunto que tem sido bastante comentado atualmente, que são as lesões de diversos wrestlers, mas sem ficar entrando nos detalhes sobre eles, tentarei mostrar, sob uma perspectiva pessoal, um caminho bastante viável que poderia facilmente ser explorado pela WWE para driblar todos os acontecimentos recentes envolvendo o número de lutadores fora de ação por razões médicas.

Então, cliquem no “Leia Mais” abaixo e vamos ao que interessa.

Está mais do que explícito por diversos blogs e revistas de notícias sobre Wrestling, que a vida de um profissional da WWE, pelo menos nos backstages, não é das melhores, isto foi um dos motivos da saída de CM Punk da empresa. Mesmo assim, com todos esses acontecimentos, é bem difícil imaginar uma realidade onde o ambiente de trabalho da WWE seja um dos melhores, exceto para aqueles que não são os escolhidos, então, devo descartar logo esta opção.

A verdade de tudo é: a WWE está colhendo do próprio mal que ela plantou. Isto é, se há poucos lutadores para substituir os Main Eventers é porque ela não preparou estes lutadores. Vou lhes dar um exemplo. Aos amantes de esportes em geral, quando um time (não importa se seja futebol, football, basquete, etc), que briga para ser um dos líderes da sua liga, perde alguns de seus jogadores titulares, o que se espera para que eles possam continuar o bom momento? A resposta é bastante óbvia: Espera-se que o time tenha reservas capazes de render algo suficiente para manter o time numa posição confortável até que os titulares possam retornar.

Veja também:  Espelho de Circo: Quick Opinions Special

wmcos

Ok, wrestling é diferente, mas a essência é bastante comparável. A grande diferença é que nos esportes onde haja competição é necessário que haja treino. No wrestling, destacando-se ainda mais a WWE, é necessário que o tal “substituto” seja alguém que possua de certa forma algum momento, isto é, é necessário que a gimmick esteja preparada para o up. E quem seriam os “substitutos”? Isto é muito claro, são aqueles que chamamos de Upper Midcarders, para quem não sabe, são aqueles que não podem ser chamados de Main Eventer, mas estão longe de ser um Midcarder. Midcarders seriam wrestlers como Usos, Tyler Breeze, até Neville, eu diria.

Kevin Owens, Ryback e Rusev talvez sejam, hoje, os melhores exemplos que temos de Upper Midcarders, mas quais deles estão preparados para suplantar as vagas de Rollins, Cena, Orton? Apenas Owens. E por preparado, eu não digo ter talento, mas sim com um momento sólido e uma gimmick bem construída, coisa que Rusev, por exemplo, não tem há algum tempo. Há também de se ter os substitutos para aqueles que entram como substitutos, e este é o grande problema.

Veja também:  Esgoto Extremo! - O status de John Cena na WWE

Acaba que, semana após semana, vemos um show de 3 horas saturado por segmentos onde envolve apenas uma feud, bem construída, ok, mas que acaba “enchendo linguiça” pelo pouco conteúdo que a empresa pode apresentar para os fãs, devido ao limitado número de pessoas preparadas a ocupar esses espaços (dentro do kayfabe).

wmcos

Outro resultado é vermos que os planos iniciais de Cena combatendo Del Rio mudaram para Kalisto, ou seja, Kalisto é a reposição de Cena. E por que? É aí que quero chegar, o motivo pelo qual digitei tudo até aqui. Aqueles wrestlers que tanto adoramos e não sabemos o que fazem em um patamar tão baixo seriam as perfeitas opções para repor qualquer um dos espaços vazios, sejam os deixados pelos Main Eventers ou pelos Uppers.

Enquanto vemos um Kalisto a combater pelo United States Championship, vemos Cody Rhodes, sob a gimmick de Stardust (que embora seja divertida e ele goste de interpretá-la, é muito pouco para seu potencial), numa feud sem nenhum hype contra Titus O’Neil, onde não ganha mais do que 5 minutos de show. Vemos também Dolph Ziggler servindo de jobber para a feud de Dean Ambrose vs Kevin Owens (que aliás, tem sido uma excelente feud). Outro que acho extremamente talentoso é Leo Kruger (atualmente sob o nome Adam Rose), sob uma gimmick extremamente estranha e em meio a mais 3 jobbers numa stable chamada Social Outcasts. Os exemplos ainda continuam, mas não vale apenas citar todos, né?

Veja também:  Espelho de Circo: Quick Opinions Special

wmcos

A conclusão que podemos tirar disso é apenas repetir ao que disse num dos primeiros parágrafos deste artigo: a WWE está colhendo de seus próprios frutos. Lutadores tão talentosos como os que eu citei acabam estando em patamares inferiores àqueles que eles merecem, e seriam perfeitos pra quebrarem o galho. Cody, talvez, poderia ser até mais que isso, basta ver o seu desempenho durante os anos, nunca desempenhou mal o papel que foi dado a ele, mesmo que o papel fosse fraco e o denegrisse. Todos os seus pushes foram bem aproveitados: Legacy, o tag title com McIntyre, undashing, as brigas com Orton e a Authority que envolveu toda sua família, a feud contra seu irmão. Isso porque que é um bom lutador, tem um excelente desempenho no microfone e o ótimo acting que faz os Rhodes/Runnels bastante credíveis no mundo do pro-wrestling, é quase um all-arounder.

É por essas e outras que a WWE precisa rever os conceitos de formar um wrestler de topo, eu entendo que caras como Roman Reigns e Sheamus, mesmo não sendo os mais talentosos, podem sim ter sua oportunidade, mas não dá pra deixar passar aqueles que há muito tempo esperam e fazem por merecer o seu tão aguardado espaço.

É assim que vou deixando, galera. Como eu sempre digo, comentem, eu preciso repetir sempre, é muito importante, eu gosto muito de discutir com vocês sobre os temas, é a melhor forma de interação entre a gente. Deem críticas, mas, claro, sempre no bom humor, de forma que possa contribuir com o progresso deste que vos escreve. Até o próximo WWE Conclusions!

Deixe um Comentário

comentário(s)