WWE Conclusions #5: AND HIS NAME IS…

conclusions

Fala, pessoal! Estou de volta aqui no Wrestlemaníacos para mais uma edição do WWE Conclusions! Como eu sempre peço pra vocês, comentem no post, é muito importante a participação de vocês, com suas opiniões, sempre acrescentando conteúdo, algo que eu possa ter deixado escapar, também pra criticar o texto, sempre de forma construtiva.

No texto de hoje eu vou falar do wrestler que mais divide opiniões do público, tanto em caráter quanto à sua capacidade como lutador de pro-wrestling, e se você leu o título, talvez não conheça essa frase que virou meme na internet de alguns meses pra cá, mas estou falando de John Cena. Mas vamos ao que interessa? Cliquem no leia mais abaixo para verem o resto do texto.

Eu gostaria de começar essa crônica com uma frase que eu costumo falar sobre o Cena: todos amam odiá-lo, mas odeiam amá-lo.

De fato, o personagem de John Cena foi criado de uma tal forma que torna extremamente prazeroso odiá-lo. Quem não gostaria de estar em uma arena da WWE e gritar “Cena Sucks” ao passo que as crianças, mulheres e alguns fãs da Cenation gritam “Let’s go Cena”? Imagino que seja muito divertido e até um pouco cômico partilhar da mesma chants com “smarks” (as aspas não são por ser um termo ou qualquer palavra em inglês, note que não coloquei em chants). O grande problema disto é quando se torna pessoal, quando se ignora o senso crítico para se deixar prevalecer do senso comum, ou seja, quando as pessoas deixam o senso comum guiar a sua crítica, e isso sempre vai ser ruim, não importa o tema que estejamos falando. De modo mais simplificado e adequando ao tema, o que eu vejo em diversas redes sociais são muitos “críticos” de pro-wrestling deixando suas opiniões serem levadas pelas chants de “Cena Sucks”, só por elas serem cantadas por homens adultos, ou seja, a grande maioria dos smarks.

A partir disso, surgem os comentários “Cena lixo”, “Cena horrível”, “enterrador”, “só tem 5 golpes”. O pior de tudo é que a maioria dessas pessoas (muitas que se dizem altamente entendedoras de pro-wrestling) pronunciam isto sem terem fundamentos ou argumentos que possam demonstrar essas ideias como opiniões próprias e com veracidade, as opiniões parecem que foram ditas por outras pessoas. É como se fosse uma máquina que estivesse programada a repetir tudo aquilo que tenha lido ou ouvido. Isto é o exemplo de abandonar o senso crítico e guiar-se pelo senso comum.

Veja também:  Perfil #01 - "The Big Dog" Roman Reigns

wmcos

Antes de querer entrar em temas mais abrangentes, vamos voltar o foco ao tema do texto.

Diferente da opinião das pessoas citadas acima, muitos daqueles que dedicam suas horas a analisar o wrestling de uma forma cautelosa, tentando detectar os mínimos detalhes e, desta vez sim, com fundamentos, argumentar em sua crítica, concordam comigo ao dizer o quão bom é John Cena. O momento atual em que vive a WWE é exatamente a reflexão disto. Os ratings cada vez menores mostram uma carência que a empresa sofre sem uma grande estrela, do modo que trabalha desde Hulk Hogan.

Cena entra na lista com pouquíssimos wrestlers, como Stone Cold e Hulk Hogan a serem líderes de uma geração, entretanto, diferente de Hogan, não é coerente chamá-lo de Overrated. Cena já ganhou diversos awards da revista Wrestling Observer Newsletter (pra mim, a melhor no assunto), entre esses prêmios, incluem-se dois Wrestler of the Year, um Match of the Year, cinco Most Charismatic, Most Charismatic of the Decade, entretanto nunca foi eleito Most Overrated, alcunha que Hulk Hogan ganhou por muitas vezes.

Fugindo para outro assunto, uma das coisas mais misteriosas em torno de John Cena é seu lado humano, aquilo que ele é fora do Kayfabe. Pra quem não sabe, kayfabe é um termo usado para definir tudo aquilo que não é real dentro do Wrestling, como por exemplo uma kayfabe injury, que seria uma lesão “teatral”. Muito se questiona sobre quem é John Cena por fora da WWE. Existem diversos rumores sobre wrestlers que tenham recebido um de-push (que seria uma espécie de push ao contrário ou seja, um bury) após terem conflitado com ele, tais como Tyler Reks, Kenny Dykstra e Alex Riley, entretanto são apenas rumores, mas ainda assim é fato sua preocupação com as instituições de caridade e a admiração às tropas americanas. Diversos cheques assinados por ele já foram entregues a diversas instituições, e isso é comprovado. Sem querer entrar em muitos detalhes, este é o lado mais sombrio de tudo o que envolve seu nome.

Veja também:  WWE Battleground 2017: Card final

wmcos

Outro ponto importante que eu devo destacar neste texto é sobre o seu move-set. Sabemos que, ao longo dos anos, o move-set do Cena foi bastante reduzido, enquanto ele variava apenas em algumas lutas e vencia a grande maioria em uma “receita de bolo” que culminava no Attitude Ajustment. Entretanto, esse não é o move-set real de John Cena, tanto que ele prova em suas lutas, principalmente as mais importantes, uma versatilidade enorme, ao aplicar Hurricanranas, Dropkicks e até mesmo um move de springboard, que é o Springboard Stunner, sem contar alguns de seus outros golpes mais tradicionais, como o Top Rope Leg Drop Bulldog, Fisherman Suplex, Hip Toss e etc. Mais uma coisa em que não se dá pra criticar sobre Cena, a variação de movimentos que ele aplica com eficácia não é pequena, apesar de o booking por vezes limitá-lo a cinco ou seis manobras.

Além de todos os atributos que já citei, não poderia deixar de dizer sobre mic-skill. A completude de John Cena tem seu destaque maior quando se fala sobre mic-skill. Eu poderia facilmente colocá-lo entre os dez maiores mic workers da história do pro-wrestling, e não estou exagerando. O carisma que ele tem, aliado a sua capacidade de controlar o público com um microfone em mãos é tão incrível que criou o movimento gigantesco que é a Cenation.

A realidade de tudo é: Cena é um ícone e, chegando próximo aos seus 40 anos, não pode mais ser aquele que víamos a 10 ou 5 anos atrás. Mas ainda assim ele consegue ser uma peça chave no roster da WWE, um dos principais Main Eventers, e talvez possa continuar assim por ainda mais dois ou três anos, pouco tempo pra WWE encontrar uma nova estrela, um novo rosto que possa estampar as revistas, ou seja, um novo “face da companhia”, como eles mesmos gostam de chamar, alguém que tenha o status de representante do público dentro e fora do ringue, Daniel Bryan talvez seria esse cara, mas o rumo de sua carreira tende a ser diferente, por motivos que todos sabem. Sobre Roman Reigns, eu já falei tudo em um outro texto, vocês podem pesquisar aí, mas resumindo, obviamente ele não está preparado para ser o novo Cena.

Veja também:  Detalhando #2 – Great Balls of Fire

wmcos

E é este buraco que Cena deixará ao se aposentar, a menos que a WWE faça algo genial (o que pouco se vê nos últimos tempos, excetuando-se o NXT), a empresa corre o risco de regredir, ao passo que produtos como Lucha Underground, NJPW e, eu diria, até ROH vem crescendo e tomando espaço no cenário nacional e mundial (no caso da japonesa).

Para concluir, vou retomar à frase que eu citei no começo. Todos amam odiá-lo, mas odeiam amá-lo. Num dos primeiros parágrafos eu expliquei a primeira parte da sentença, concluirei explicando a segunda parte. Ao mesmo tempo que é divertido odiar o personagem de Cena, é ruim e chato termos que admitir que o amamos. Muitos podem odiá-lo pelos motivos que citei no começo do texto, apenas repetindo aquilo que lê ou que ouve, sem criticar, mas o fato é que o legado que ele construiu vai ficar pra sempre, perpetuado, e quando sua história como lutador ativo terminar, ele se transformará em uma das maiores lendas da maior empresa de pro-wrestling de todos os tempos.

E é por aqui que termino meu texto, espero poder ter conseguido abrir a mente de muita gente, a intenção dos meus artigos é realmente tentar mostrar aos leitores um olhar mais aprofundado e detalhado sobre os temas que vos apresento. Mas é claro, é tudo apenas parte daquilo que os meus olhos veem, o que não necessariamente significam a verdade, portanto, qualquer discordância, comentem, quem sabe você não pode abrir o meu olho sobre algum deslize que eu tenha dado? E como eu disse a vocês, sejam mais críticos, discutam sobre o que vocês acham, a partir da visão que vocês têm, com suas observações, não resumam suas teses em sentenças ofensivas e sem fundamento, critiquem, prestem atenção ao que veem, pesquisem, a fonte do conhecimento se dá através da dúvida e da crítica, portanto sejam curiosos e críticos. E é por aqui que eu fico, até a próxima!

Deixe um Comentário

comentário(s)